Edição 323 | 2018

Home/ Revista/ Edição 323/ Melhor Idade


Clique para ver a versão impressa [+]
03/12/2018 08:16 - Atualizado em 03/12/2018 08:27

Tecnologia em prol da saúde

Neurologista afirma que videogame e jogos cognitivos podem ajudar no treinamento motor e cognitivo de pacientes

Divulgação
O  uso da tecnologia, na forma de jogos de videogame e jogos cognitivos, pode auxiliar no treinamento motor e cognitivo de pacientes com doença de Parkinson, Alzheimer, AVC’s com sintomas de perda de sensibilidade e alteração de motricidade, dificuldades de marcha e equilíbrio. “Além disso, permite a leitura de livros, websites, aprendizado mais dinâmico de línguas, treinamento físico, o que pode ser útil na prevenção e no tratamento de doenças neurodegenerativas por meio da estimulação de áreas motoras e cognitivas do córtex cerebral”, afirma o neurologista do Hospital Villa-Lobos, Flavio Augusto Sekeff Sallem.

De acordo com o neurologista, os aparelhos e programas que visam os estímulos cognitivos, ativam o lobo frontal do cérebro, que é responsável pela atenção; mudança de foco de atenção; memória operacional, planejamento e abstração; as áreas de linguagem - tanto a produção da linguagem localizada no lobo frontal esquerdo, como a compreensão da linguagem falada e escrita, localizada no lobo temporal esquerdo. “Fisioterapeutas e terapeutas ocupacionais, que conhecem como funciona a reabilitação motora e cognitiva, podem orientar sobre posturas adequadas e métodos corretos de uso das tecnologias”, destaca.

O especialista ainda complementa que a tecnologia pode promover um estilo de vida diferente também na forma da Medicina ser aplicada e na relação médico-paciente, como:

• Utilização de ferramentas que permitem a mensuração mais rápida e precisa de medição de glicemia, pressão arterial, frequência cardíaca e outros marcadores sanguíneos;
• Uso de ferramentas para lembrar o paciente de fazer uso da medicação;
• Permitir o contato direto e mais frequente com o médico por meio de programas de computador e aplicativos de celular.
Divulgação
Divulgação