Edição 323 | 2018

Home/ Revista/ Edição 323/ Educação


Clique para ver a versão impressa [+]
03/12/2018 13:41 - Atualizado em 03/12/2018 13:42

Intercâmbio com segurança

Proteste orienta consumidores na hora de contratar um pacote para estudar no exterior

Divulgação
Realizar um intercâmbio é o sonho de milhares de jovens brasileiros, seja para aprender um outro idioma ou apenas conhecer novos lugares. Com o tempo, essa experiência será útil na busca de um emprego. No entanto, é preciso cautela com os processos, principalmente antes do embarque, a fim de garantir segurança durante a viagem e também o melhor preço. A Proteste, associação de consumidores, listou as principais dicas que poderão ajudar a planejar essa temporada internacional:

Atenção com os intermediários
As agências tendem a facilitar a vida do estudante, por cooperar com a contratação de escolas, vistos e seguros de saúde. Porém, para não cair em golpes, é imprescindível fazer buscas de reclamações nos sites do Tribunal de Justiça do Estado, Procon e até mesmo em fóruns pela internet e nas comunidades de estudantes que já fizeram intercâmbio. Pedir indicações é uma boa maneira de descobrir se a empresa é idônea.

Documentação correta
Embarcar para outros países requer passaporte e, em alguns casos, vistos previamente solicitados. Todos esses gastos não são irrelevantes e exigem que o processo seja feito de maneira correta, ou o estudante perderá os valores investidos caso não obtenha o visto. Seguro viagem normalmente é obrigatório.

Custos detalhados
Custo de vida, acomodação e passagens aéreas costumam impactar no preço final do investimento. Por isso, antes de viajar, é necessário realizar um estudo detalhado dos valores a serem pagos. É recomendado verificar se a agência contratada possui, por meio de parcerias com as operadoras de voos, passagens com descontos e se o país selecionado exige comprovação de renda. Outro ponto é saber o custo de vida no local, os costumes sobre alimentação, custo do transporte público entre outros.

Contrato bem explicado
A Proteste alerta ainda que, na hora de assinar o contrato, o consumidor tem o direito de exigir todas as explicações, a fim de esclarecer os pontos citados contratualmente.
Outra dica é solicitar os nomes daqueles que ficarão responsáveis pela solução de problemas relacionados à escola ou à moradia no exterior, e que poderão ser acionados em casos de emergência tanto no país de destino quanto no Brasil e como podem receber o contato do cliente e quais as restrições para isso (dias da semana, horários, etc.)
Outra dica é levar uma quantia em dinheiro para se manter por pelo menos um mês.
É de suma importância que, toda conversa via e-mail ou celular seja devidamente guardada. Dessa forma, se houver algum problema durante a viagem, o consumidor tem como comprovar o que foi dito anteriormente e que deve ser cumprido. A associação também pode colaborar com aqueles que se sentirem lesados. Basta acessar www.proteste.org.br ou ligar para 0800 282 2207.
Divulgação
Divulgação