Edição 320 | 2018

Home/ Revista/ Edição 320/ Saúde/ Dores de cabeça


Clique para ver a versão impressa [+]
27/08/2018 17:25

Dores de cabeça

Pesquisa revela que 95% da população no país sofre com o problema. Estresse, alimentação e óculos inadequados estão entre as principais causas


Pesquisa realizada pelo Ibope Inteligência revelou que 95% da população brasileira têm, ou já teve dificuldade em realizar alguma atividade do dia-a-dia devido a dores de cabeça. Este mesmo estudo aponta que 70% sentiu dores durante o trabalho e 65% durante os estudos.
As dores podem ocorrer em qualquer região da cabeça, sendo isoladas em alguma área específica, em um ou em ambos os lados. O tipo de dor pode ser moderado, médio ou forte e ir do latente ao irradiante. As mais conhecidas são as famosas enxaquecas.

Entre os principais gatilhos da dor de cabeça está a intensidade do estilo de vida moderno, o excesso de plataformas e interações digitais, além de hábitos não saudáveis como pouca ingestão de água e falta de sono. Soma-se a estes fatores o uso de óculos com medições erradas e imprecisas, que tem um papel fundamental como desencadeador do incômodo.

Confira seis situações que provocam dor de cabeça e como se previnir:

1. Dormir mal
Uma noite mal dormida pode gerar uma série de fatores negativos para a saúde, sendo a dor de cabeça um dos mais comuns. No processo do sono, é importante chegar no estado chamado REM (Rapid Eye Movement), que garante equilíbrio físico, químico e mental. Ao dormir pouco, ou mal, este ciclo é interrompido. As dores de cabeça surgem exatamente quando este ciclo é interrompido. Por isso, é importante ter uma rotina adequada para obter melhor qualidade de sono.

2. Hipoglicemia
A diminuição no nível de açucar no sangue pode gerar a chamada hipoglicemia. Sensações de tontura, fraqueza, coração acelerado, visão embaçada e dores de cabeça são alguns dos sintomas. Ao senti-los, uma das soluções para amenizar o problema é tomar um copo de suco de laranja, balas de caramelo, biscoitos, doces, refrigerantes ou o que tiver mais próximo. Normalmente os sintomas aparecem quando os níveis de glicose estão abaixo de 70 mg/dl.

3. Calor
Em regiões de calor intenso, o clima pode afetar o funcionamento do corpo e, em especial, a nossa cabeça. Neste período, o corpo tende a desidratar mais rapidamente, aumentando assim a dilatação dos vasos sanguíneos localizados no cérebro e facilitando, dessa forma, o início das dores de cabeça. Recomenda-se redobrar os cuidados com a ingestão de água e consumir, no mínimo, dois litros por dia.

4. Medição incorreta dos óculos
Dores de cabeça para quem usa, ou precisa usar óculos, se devem, muitas vezes, pela falta de posicionamento correto dos óculos e das lentes em relação ao rosto. Hoje em dia, com o avanço da tecnologia, é possível localizar óticas que contam com equipamentos especializados que fazem uma medição automatizada de forma completa e precisa.

5. Estresse
A correria da vida moderna, o excesso de interações digitais e muitos compromissos em diversas áreas pode gerar estresse. Situações de dificuldades podem provocar a chamada cefaleia tensional, conhecida como a dor de cabeça mais comum - de 38% a 74% dos brasileiros sofrem com esta dor, segundo a Sociedade Brasileira de Cefaleia. Nestes casos, se cobrar menos, adotar novos hábitos de vida e dividir tarefas pode ser fundalmental.

6. Alimentação
Ter uma alimentação correta é a chave para obter uma vida mais saudável. Por isso, é importante evitar alimentos industrializados, excesso de bebidas alcoólicas e estimulantes. Entre os alimentos que aliviam e podem evitar a dor de cabeça estão frutas cítricas, que, por serem fontes em vitamina C, facilitam a circulação sanguínea e melhoram a pressão na cabeça.
Divulgação
Divulgação