Edição 319 | 2018

Home/ Revista/ Edição 319/ Melhor Idade


Clique para ver a versão impressa [+]
27/07/2018 16:05

De bem com a melhor idade

Número de indivíduos que atingirão a Terceira Idade tende a triplicar até 2050 e mercado se prepara para atender público que procura qualidade e confiança, nos produtos e serviços oferecidos

Divulgação
Hoje, no Brasil, segundo dados do IBGE – Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, o número de idosos chegou a 15 milhões. As estimativas do instituto porém são ainda mais animadoras em relação a expectativa de vida de nossa população. A previsão é que, até 2020, o número de pessoas que atinjam a melhor idade chegue a 32 milhões e até 2050 componham 30% da população total, chegando a 64 milhões de pessoas. Ainda de acordo com o órgão, o incentivo ao aleitamento materno, vacinação em todos os públicos de interesse e uma evolução generalizada da Medicina moderna têm contribuído para a longevidade dos brasileiros.

Segundo a Organização Mundial da Saúde, a população das Américas ganhou 16 anos de vida a mais, em média, nos últimos 45 anos – ou seja, quase dois anos por quinquênio. Agora, uma pessoa nascida no continente pode viver até 75 anos, quase cinco anos a mais do que a média mundial. No Japão, país com maior expectativa de vida no mundo, as pessoas podem esperar viver 83,7 anos. Uma mulher japonesa hoje tem uma expectativa de vida de 87 anos, em comparação com 81 anos para os homens.

E, com o aumento da expectativa de vida, crescem também os serviços voltados para este público, que hoje é uma das faixas etárias com maior poder aquisitivo no país. São escolas de balé especializadas na Terceira Idade, agências de viagem, carros adaptados, moda inclusiva, serviço médico e odontológico diferenciado, casas de repouso, escolas de informática, academias de ginástica cerebral e muitos outros. Isso porque já está comprovado que envelhecer com saúde e ter qualidade de vida é essencial para o público que atinge essa faixa etária.
Um ponto importante na longevidade e qualidade de vida que é defendido pelo Instituto Melhores Dias é de que precisamos rever a forma como vemos e inserimos os nossos idosos. Reconhecer a potencialidade laborativa dos idosos, assim como sua saúde, energia e criatividade, é fundamental para uma sociedade mais produtiva e sábia. “Na China e no Japão, velhice é sinônimo de sabedoria e respeito”, conta a sócio-fundadora e presidente do Instituto Melhores Dias, Joyce Capelli.

Mercado de trabalho
Uma pesquisa realizada entre fevereiro e março de 2018 pela Fundação Getúlio Vargas com apoio da BrasilPrev e da Associação Brasileira de Recursos Humanos, em 140 empresas brasileiras, apontou que 75% das empresas ouvidas preferem contratar jovens a profissionais com 50 anos de idade ou mais nas mesmas condições técnicas e 88% não contam com campanhas específicas para a inserção desse público em seus quadros.

“As empresas veem os mais velhos como pouco criativos e com baixa adaptabilidade às novas tecnologias, além de os considerarem onerosos nos custos da assistência médica e odontológica”, lamenta Joyce. “O único ponto positivo em relação a igual pesquisa realizada há cinco anos é que as empresas aumentaram ligeiramente a percepção positiva com relação aos profissionais mais velhos considerados mais comprometidos no trabalho e com maior equilíbrio emocional para enfrentar as situações em comparação aos jovens”, considera a especialista.

Poder de consumo
Contudo, na contra mão dessas empresas que procuram o público jovem, um outro grupo de consumidores ganha cada vez mais destaque. Com maior expectativa de vida e fôlego financeiro, o público sênior desponta como uma grande oportunidade para as marcas que estão dispostas a investir neste nicho. Segundo relatório “Consumer Generations”, divulgado pela Tetra Pak no início do ano passado, o poder de compra dos consumidores acima de 60 anos deve superar R$ 30 trilhões em todo mundo em 2020.

A pesquisa entrevistou mais de 40 mil pessoas, de 27 países, incluindo o Brasil. O estudo aponta ainda que, por aqui, o público sênior tinha 11% da renda do País, na última década. Contudo, nos próximos quatro anos, a expectativa é que eles passem a ter 16%, em decorrência do envelhecimento da população e do aumento do poder de compra dos brasileiros. Outro dado relevante no estudo é que, cerca de 20% do orçamento dos indivíduos da Terceira Idade é destinado a alimentos e bebidas e que a grande maioria deles priorizam a qualidade do produto, garantindo que pagam mais caro por ele, de acordo com a qualidade apresentada.

Aliás, o quesito qualidade foi classificado como essencial em todos os segmentos de consumo para essa faixa etária que, muitas vezes se sente apartado da sociedade por não encontrar produtos e serviços que os atendam. Sinal de alerta para quem está procurando um segmento consolidado e que só tende a crescer no País. Ignorar esses dados seria uma falha terrível de estratégia comercial.

Ginástica para o cérebro
Algumas empresas já se destacam nesse nicho e se especializaram em atender as demandas da Melhor Idade. Dentre elas está a academia de Ginástica para o Cérebro Supera (Unidade Tatuapé - R. Apucarana, 1322 - F: 2957.7202), que oferece um curso semanal onde o aluno pratica a socialização, enquanto desenvolve e recupera algumas funções cerebrais como a memória, o raciocínio e a concentração.

A Terceira Idade é o público mais fiel da franquia de cursos Supera e representam 30% dos alunos da rede. A ginástica cerebral para essa faixa etária é recomendada por retardar o aparecimento de sintomas de doenças como Alzheimer e ainda recuperar capacidades.
Maria Santana de Souza tem 71 anos e procurou o curso de ginástica cerebral em Londrina (PR) porque já tinha histórico de Alzheimer na família. Com treino e persistência, ela conta que os resultados são surpreendentes. “Comecei a perceber muitas melhoras na minha memória em pequenas situações cotidianas, como lembrar onde guardei as coisas e horários de consultas médicas. Além disso, desenvolvi também minha concentração e autoestima porque em sala de aula eu conheço pessoas novas e faço amigos”, relata.

O desenvolvimento das habilidades socioemocionais também contribui para a melhoria da qualidade de vida, fazendo com que as pessoas vivam melhor por mais tempo. “Quando uma pessoa idosa tem perda significativa de memória, não necessariamente é porque ela está envelhecendo, mas por alguma desordem orgânica, lesão cerebral ou doença neurológica. Estudos mostram que é possível manter a mente ativa, prevenindo-se contra o declínio cognitivo e reduzindo o risco de demência, com alguns hábitos simples e saudáveis como mantendo-se fisicamente ativo, dormindo bem, não fumando, tendo boas conexões sociais, limitando o consumo de álcool a uma dose por dia e fazendo uma alimentação balanceada, com baixa quantidade de gorduras saturada e trans”, garantem os responsáveis pela franquia.

Informática com carinho
Outra empresa que se destaca entre o público da Terceira Idade é a Escola de Informática e Cursos Profissionalizantes Pró-Soluta (R. Trapicheiro, 257 - Vila Carrão - F: 2295.5341), que atende de forma personalizada, com carinho e repeitando o tempo de cada aluno, a faixa etária acima dos 60 anos, que pode apresentar alguma dificuldade com computadores, smartphones, tablets e aplicativos como WhatsApp.

“A visão que tínhamos da Terceira Idade era a de um corpo cansado, já com as limitações da idade. Mas, hoje em dia, essa geração tem muito mais saúde e alegria e se preocupa com os assuntos relacionados a era em que estão vivendo, e o mais importante é participarem de tudo isso”, enfatiza a diretora da Pró-Soluta, Fernanda Silva Pinto.

Ela enfatiza que é de conhecimento de todos que manter o corpo saudável, participar de atividades físicas e manter uma alimentação saudável fazem parte do cotidiano e ajuda a termos uma melhor qualidade de vida. Porém garante que “o grande segredo está no exercício da mente e muitos médicos estão receitando a aprendizagem da informática para aumentar a atividade cerebral e exercitar a memória”.

Por que aprender informática?
Pesquisas feitas por especialistas da Universidade da Califórnia, através de ressonância magnética, mostram as atividades cerebrais em dois grupos de idosos, um que usava a internet e outro que não tinha contato com essa tecnologia, e foi comprovado que a área em atividade no cérebro que controla a linguagem, a leitura, a memória e a capacidade visual foi muito maior nos que acessavam a rede mundial de computadores.
“Através disso, é possível comprovar a importância da informática para a Terceira Idade e que exercitar o cérebro através dessa aprendizagem é uma das ferramentas para que o mesmo não perca a capacidade de raciocínio”, conclui Fernanda.

Qualidade de vida
Apesar do aumento da expectativa de vida, chegar na Terceira Idade com saúde e disposição nem sempre é fácil. Segundo Juliana Iacona de Oliveira, fisioterapeuta do Studio de Pilates J&G (R. Flamengo, 41 A - Tatuapé - F: 2884.1742) com o processo de envelhecimento, é inevitável a perda de força, potência muscular e equilíbrio, aumentando o risco de queda entre os idosos.

Os exercícios físicos praticados de uma maneira sistemática estimulam a Terceira Idade nos aspectos físico, psicológico e social, já que essas atividades são consideradas como um possível agente antidepressivo. E, obviamente, também ajudam a estimular o relacionamento entre eles e seus familiares, amigos e sociedade em geral, melhorando a autoestima, a capacidade de aprendizagem e de treinamento da funcionalidade para que se sintam mais motivados e capacitados a fazer as simples atividades do cotidiano.

“A prática do Pilates tem diversos objetivos para os idosos. Entre eles, destaco: melhora do equilíbrio, flexibilidade, resistência muscular, coordenação motora e força, desenvolvendo a autoimagem e a autoestima, que são importantes para preservar e promover a independência e autonomia das atividades da vida diária; beneficiar o sistema cardiorrespiratório, como a circulação periférica; auxiliar na prevenção da Obesidade e da descalcificação óssea, evitando ou retardando o aparecimento da Osteoporose; beneficiar os atos de caminhar, sentar, levantar, subir e descer escadas, aumentando o controle do corpo, do movimento e gesto motor”, enfatiza Juliana.

A especialista recomenda que a prática seja feita ao menos duas vezes por semana e com profissionais habilitados para que nenhum dano seja causado à saúde e para que o indivíduo possa ser orientado de maneira efetiva, de forma personalizada, de acordo com suas necessidades e limitações, garantindo um resultado mais rápido e duradouro.

Envelhecimento saudável
Se recuperar as condições físicas e mentais de nosso corpo quando ele atinge a Terceira Idade pode ser complicado, o ideal é começar a se programar para um envelhecimento saudável já aos 30 anos de idade. “Para ter qualidade de vida após os 60 anos precisamos nos preparar com antecedência quando estamos no auge do nosso vigor, já que a proposta é a de manter a vitalidade e a saúde física e mental no nível mais alto possível durante toda essa fase”, afirma o naturopata especialista em bases de Medicina Integrativas do Hospital Albert Einstein, Daniel Alan Costa.
Ele chama a atenção dos jovens para garantir uma velhice com qualidade, adotando um estilo de vida natural que pode preservar e muito a saúde.

1. Pratique exercícios físicos todos os dias. “Você conhece as práticas corpóreas orientais? Tai Chi Chuan, Yoga, Qi Gong, Lian Gong entre outras são excelentes para o corpo e para a mente”, garante Costa. Outra opção é a musculação, sempre com a orientação de um profissional capacitado. Depois dos 30 anos a perda de massa muscular se intensifica, chegando a 40%.
2. Não fume e evite a ingestão de carne, pois ambos liberam substâncias produtoras de envelhecimento precoce.
3. Durma cedo e bem, pois o hormônio do crescimento atinge seu pico de produção antes da meia-noite.
4. Dê preferência aos alimentos que contêm antioxidantes naturais que previnem doenças, rugas e flacidez, como os carboidratos integrais, frutas e verduras.
5. Revitalize suas células: tome sol diariamente nas primeiras horas da manhã, ande descalço sobre a grama molhada, caminhe na beira do mar, banhe-se nas águas de uma cachoeira, caminhe em um parque arborizado e respire profundamente, abuse do repouso para restabelecer as células, pois elas amam um repouso restaurador, valorize a amizade, o sorriso, o abraço, a gratidão, a alegria, pois tudo isso produz endorfina, hormônio capaz de reenergizar as células de defesa.
6. Mantenha a curiosidade intelectual aprendendo uma nova atividade para conservar a mente lúcida e alerta. Viaje, estude um novo idioma, faça algo que nunca fez, abuse das palavras cruzadas pois assim a mente permanece jovem e o cérebro bem irrigado.
7. Aprenda a meditar. Ela diminui a ansiedade, aumenta a estabilidade emocional, a criatividade, a alegria, desenvolve a intuição, diminui a pressão arterial, diminui qualquer tensão relacionada com a dor seja de cabeça, musculares ou articulares.
8. Pratique o voluntariado. Quem faz trabalho voluntário é mais feliz e apresenta uma carga de estresse muito menor em relação a quem não é adepto a prática. Além disso, foi comprovado que as pessoas que se dedicam ao voluntariado vivem em média quatro anos a mais. Isso porque ocorre a liberação de endorfinas que provocam em todo o corpo a sensação de prazer.

Saúde bucal
Como se prevenir de problemas dentais na Terceira Idade
Na Terceira Idade, assim como no corpo em geral, a cavidade oral também sofre alterações. O aumento do uso de medicamentos pode diminuir a salivação, tão importante para defesa contra os agentes causadores da cárie e doença gengival. A Diabetes descontrolada é uma doença silenciosa que também altera a resposta biológica como a coagulação, aumento de infecções, sangramento e boca seca. Por isso, os cuidados com a saúde bucal na Terceira Idade se baseiam na motivação de hábitos saudáveis de alimentação, higiene oral, com técnicas e artifícios adequados à habilidade manual, pois muitas vezes são comprometidas em pacientes com idades muito avançadas. A manutenção periódica no consultório de higienização de próteses, dentes, e implantes é imprescindível para manter a saúde gengival óssea e dental. Muitos que já perderam seus dentes naturais, estão caminhando para a reabilitação com implantes e próteses. O bom diagnóstico através de exames específicos de sangue, tomografias e outros, vai direcionar o tratamento reabilitador adequado para que seja devolvida a mastigação, a saúde e o seu sorriso.
Nishimura Odonto Prime
R. Azevedo Soares, 1207
F: 2296.1419


Podologia
Entenda a importância de cuidar dos pés com um profissional qualificado
Durante a vida nem sempre damos a devida atenção aos nossos pés. Os resultados aparecem com maior intensidade com o avanço da idade, quando calos, deformidades e outras condições causam dor, dificultam o caminhar e, consequentemente, as atividades do dia a dia.Calosidades nos pés dos idosos, por exemplo, são bastante comuns devido ao uso de sapatos inadequados por um longo período. Remover os calos é insuficiente, é preciso procurar um profissional capacitado na área de podologia para descobrir o que causou a calosidade, pois de outra forma, eles voltarão.
Spé - O Spa do Pé
Unidade Tatuapé
R. Coelho Lisboa, 349
F: 2227.0362



Implantes Dentários
Procedimento rápido, seguro e indolor, em alguns casos pode ser feito no mesmo dia, para você dar adeus às dentaduras e próteses móveis
Essa técnica consiste em reabilitar um paciente sem dentes, seja ele usuário de prótese total (dentadura) ou que tenha poucos dentes já comprometidos, devolvendo-lhe as funções estética e mastigatória em até 48 horas. Em qualquer idade vale a pena, mas em idade avançada vale ainda mais, pois sabemos que a melhor idade traz alguns desconfortos que são inevitáveis e que os momentos de prazer têm que ser mais valorizados do que nunca, como o convívio com os filhos, netos, os passeios, etc...
A técnica consiste na reabilitação com implantes osseointegrados que devolvem a força mastigatória, trazendo segurança e autoconfiança, através de um procedimento indolor, onde as cirurgias podem ser feitas com auxílio de sedação e guiadas por planejamento 3D.
Dr. José Chateaubriand
R. Santa Gertrudes, 241
F: 3384.3444


Benefícios da informática depois dos 60 anos
*Interação com as atualidades tecnológicas
provoca a sensação de bem-estar;
*O encantamento com a tecnologia dos dias de hoje em comparação com as do seu respectivo tempo;
*O sentimento de participar do que está acontecendo com o mundo a nossa volta;
*Novas formas de interagir com filhos, netos e até mesmo bisnetos utilizando esta ferramenta, pode transformar o idoso num ser humano mais feliz e útil para sociedade.
Divulgação
Divulgação