Edição 316 | 2018

Home/ Revista/ Edição 316/ Saúde/ Gripe a caminho


Clique para ver a versão impressa [+]
23/04/2018 14:19

Gripe a caminho

Entenda a importância de se vacinar todos os anos

Divulgação
Divulgação
A  influenza é uma infecção respiratória viral aguda conhecida como gripe, que neste ano de 2018 tomou conta dos Estados Unidos com mais de 47 mil casos confirmados e 20 óbitos. “Diferente do resfriado simples que cursa com uma leve coriza, tosse seca, dor de garganta e rouquidão, a gripe se caracteriza por febre maior que 38° C de início súbito, calafrios, mialgia, cefaleia, tosse seca, coriza abundante, dor de garganta, algumas vezes com conjuntivite e dor abdominal”, explica a pediatra e neonatologista da Clínica ApisPróBaby, Natália C. Paulo de Sousa.

A especialista detalha ainda que, em indivíduos previamente hígidos, a influenza costuma ser de evolução benigna e auto limitada, com resolução total após quatro a sete dias. Outras vezes pode evoluir para formas graves como a síndrome da angústia respiratória e óbito, sendo as crianças menores de dois anos de idade, adultos com idade igual ou maior que 65 anos, portadores de doenças crônicas ou imunocomprometidos, gestantes e puérperas o grupo de maior risco.

Influenza
Os vírus influenza A e B são responsáveis pelas epidemias sazonais, ou seja, que ocorrem anualmente durante os meses de outono-inverno. “Esses vírus sofrem várias mutações, possibilitando no decorrer da vida que uma pessoa seja infectada várias vezes, assim, a composição das vacinas também é modificada de um ano para o outro e vale lembrar que o nível de anticorpos pós vacinação reduz ao longo dos meses, por isso a necessidade do reforço anual”, garante Natália.

Ela explica que as vacinas são compostas por vírus inativos que induzem a produção de anticorpos e esses neutralizam o vírus influenza, promovendo imunização ativa. Crianças de seis meses a oito anos em caso de primovacinação, recebem duas doses com intervalo de 30 dias. “Ela é contra indicada para pessoas com hipersensibilidade/alergia a proteína do ovo ou outros componentes da vacina ou que desenvolveram síndrome de Guillain-Barre após vacina de influenza anterior ou estando na vigência de um quadro febril”, destaca. 

Vacinas
O Ministério da Saúde disponibiliza a vacina trivalente composta por três cepas inativas do vírus influenza. As redes particulares, além da vacina trivalente, disponibilizam também a tetravalente composta pelas 4 cepas, 2 cepas A: H1N1 e H3N2 e 2 cepas B: da linhagem Yamagata ou Victoria.
A campanha pelo Ministério da Saúde ocorre até 25 de Maio, e o primeiro público alvo são as crianças de seis meses a cinco anos, idosos com mais de 60 anos, gestantes e puérperas até 45 dias após o parto, adultos portadores de doenças crônicas ou condições especiais, transplantados, imunocomprometidos, indígenas, profissionais da saúde e professores.

Como prevenir?
“Além da vacinação a prevenção inclui lavagem das mãos, lenço descartável para higiene nasal, cobrir boca e nariz quando tossir, manter ambientes ventilados, evitar aglomerações e contato com pessoas doentes, reduzindo o risco de transmissão”, finaliza a pediatra.

Clínica ApisPróBaby
Dra. Natália C. Paulo
Pediatria e Neonatologia
R. Apucarana, 941 - Tatuapé
F: 2225.1546 / 2098.1618
www.probabyvacinas.com.br
Divulgação