Edição 312 | 2017

Home/ Revista/ Edição 312/ Meio Ambiente


Clique para ver a versão impressa [+]
27/11/2017 08:16

Futuro sustentável

Conheça as seis perguntas do consumo consciente que ajudam a diminuir impactos negativos no meio ambiente

Divulgação
Hoje, o planeta não consegue regenerar seus recursos naturais na mesma velocidade das nossas demandas. Com o crescimento da população e dos níveis de consumo, o Banco Mundial estima que em 2050 serão necessárias quase três Terras para dar conta das demandas do nosso estilo atual de vida.

“O consumidor tem um grande poder em mãos, embora nem sempre tenha consciência disso. Por meio das escolhas cotidianas, ele pode contribuir para reduzir os impactos negativos no meio ambiente, na economia, na sociedade e no seu próprio bem-estar. Por exemplo, ao escolher comprar de uma empresa que polui menos o meio ambiente, está dizendo para as outras empresas que poluir não é aceitável. O mesmo acontece ao optar por produtos que duram mais, ao reciclar”, explica o diretor-presidente do Instituto Akatu, ONG que atua há 16 anos pelo consumo consciente, Helio Mattar.

Quando consumimos sem controle existe um desequilíbrio, seja ele no organismo ou nas finanças.  A Life Coach Luciane Cadan relata que muitos não têm noção do consumo, pois usam essa estratégia como uma forma de prazer. “É anestesiar uma dor, compensar com algo que lhe dá prazer. Funciona como um mecanismo de fuga”, ressalta.

O lema é escolher pensando não só em si, mas em toda a relação que aquele produto tem com o mundo. Dando equilíbrio entre o bem-estar pessoal e a sustentabilidade. Isto porque o consumismo vem crescendo, aumentando assim os impactos tanto à vida pessoal como no coletivo, e à natureza.

O consumo consciente é um hábito que pode ser adquirido com atitudes simples, sem largar mão do conforto, como por exemplo: poupar água ou economizar energia. “Uma ação ‘clichê’”, diz Luciane, mas que faz muita diferença: fechar a torneira enquanto se está escovando os dentes ou deixar apenas a luz acesa do cômodo no qual está ocupado.

Outra dica da Life Coach é utilizar sacolas retornáveis. “As sacolas plásticas podem ser substituídas por uma sacola de pano. Abandonar a sacola de plástico é abandonar também 450 anos de decomposição, poluição, e o entupimento de bueiros”, enfatiza.
O consumo individual deve ser explorado de maneira que, ao comprar qualquer mercadoria, haja uma reflexão para saber se há necessidade daquela compra. Compro porque realmente preciso ou só pelo prazer em comprar?

É no dia a dia que fazemos a diferença e aquele pensamento de “ah, mas só minha atitude não muda nada” pode colocar tudo a perder, e ainda te colocar em um círculo vicioso, tomando uma proporção maior a cada dia. Para a Life Coach, “a mudança já é transformar esse tipo de pensamento”.

A seguir, conheça as seis perguntas do consumo consciente, que ajudam a refletir antes, durante e depois de fazer uma compra e, dessa forma, reduzir os impactos negativos no meio ambiente que seriam decorrentes dela.

6 Perguntas do Consumo Consciente

Por que comprar? - Reflita se realmente precisa comprar ou se está sendo levado por um impulso. Antes, pense se você já não tem o suficiente ou se você pode fazer uma troca, reutilizar ou pegar emprestado.

O que comprar? - Pense sobre quais características do produto atenderão à sua necessidade e leve em consideração os impactos associados ao produto na hora da seleção.

Como comprar? - É hora de pensar sobre a melhor forma de pagamento e como vai buscar e levar as mercadorias, de forma a ter o menor impacto negativo possível.

De quem comprar? - Tente descobrir informações sobre as empresas que fabricam e vendem o produto ou serviço: verifique se há cuidado no uso dos recursos naturais, se os funcionários são respeitados.

Como usar? - Quando você leva o produto para casa, é preciso dar uma vida longa a ele. Cuide para estender ao máximo a vida útil daquilo que você compra. Assim você evita os impactos associados à fabricação, o transporte e o descarte de outros produtos.

Como descartar? - Aquilo que não tem mais utilidade para você pode ser reformado ou pode ser interessante para outra pessoa. Se isso não for mais possível, é preciso fazer um descarte adequado. Veja se o material pode ser encaminhado para a reciclagem ou se exige descarte especial.
Divulgação
Divulgação