Edição 307 | 2017

Home/ Revista/ Edição 307/ Mercado & Carreira


Clique para ver a versão impressa [+]
06/07/2017 15:12 - Atualizado em 06/07/2017 15:13

Rumo ao crescimento

Passada a turbulência da crise econômica que assola o País, veja como sua empresa pode recuperar a estabilidade e voltar a crescer

Divulgação
O ano de 2016 e começo de 2017 foram marcados pelo agravamento da crise econômica que afeta o Brasil nos últimos tempos. Os índices de desemprego subiram, com um saldo de mais de 12 milhões de pessoas sem ocupação e mais de 100 mil postos de trabalho foram fechados, segundo os dados do IBGE – Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Esse cenário de instabilidade preocupou a todos, inclusive os brasileiros que são donos do próprio negócio.

Mas, mesmo em meio à turbulência, foi possível atravessar este desafiador cenário e até prosperar. O setor de franquias, por exemplo, obteve crescimento de 8% no último ano, segundo a ABF - Associação Brasileira de Franchising, e tem a projeção de aumento de 7 a 9% neste ano.
“Quem sobreviveu à crise deve estar pensando qual é o próximo passo para ampliar os negócios e alcançar a estabilidade. Com o país caminhando para mudanças no cenário político e econômico, acredito que ainda é preciso ter cautela em sua empresa. O controle das finanças agora deve ser ainda mais rigoroso. Investimentos são importantes e fundamentais, mas é preciso avaliar com calma todas as vantagens e desvantagens antes de correr riscos. O momento pede atenção”, opina o fundador e presidente do Grupo Prepara, Rogério Gabriel.

Segundo o detentor das marcas Prepara Cursos, Ensina Mais e das recém-lançadas English Talk e Pingu’s English, os detalhes mais importantes e que definem o sobressalto mesmo depois da crise são a qualidade e a inovação dos produtos e serviços oferecidos. “Seja único, inovador, ofereça algo que os outros não têm, isso fará com que você conquiste credibilidade no mercado. Em meu investimento, por exemplo, busquei novos horizontes para expandir os negócios e mesmo neste cenário, dei o primeiro passo para a internacionalização da empresa: abri a primeira franquia na Angola. Outra medida, foi trazer inovação à marca em uma aliança com uma famosa turminha dos gibis. Além disso, ampliei o leque de opções de cursos na área digital, que é uma das mais promissoras do século XXI. Acreditem, deu muito certo”, garante.

O empresário alerta, entretanto, que é preciso estar atento às tendências do mercado como, por exemplo, o interesse da geração Y nos negócios. “Os jovens vêm se mostrando mais avessos aos modelos de trabalhos convencionais e indo em busca do próprio negócio. A ABF também apontou que a maioria dos donos de microfranquias possuem entre 25 e 36 anos, pertencentes à geração Y. Logo, este é um nicho que tem muito potencial. Com o dinheiro em falta, estes modelos com investimento até R$ 90 mil, têm se tornado um ponto forte da área. Por isso, se você acredita em seu segmento, não é hora de desanimar! Seu negócio passou por todas essas dificuldades, isso mostra que ele tem força para continuar crescendo. Veja as oportunidades que o setor apresenta e vá a luta”, anima-se Rogério Gabriel.

Segundo o diretor da consultoria saad branding+design, Lucas Saad, existem algumas formas de reduzir os riscos e ajudar a sua empresa a se destacar no mercado nesse perído. Confira as dicas do especialista para quem já tem ou pretender abrir um negócio:

1. Compreenda bem seu mercado: observando as tendências relacionadas ao seu setor, você pode descobrir novas oportunidades que o ajudarão a preparar seu negócio não só para o curto prazo, mas também para o longo;

2. Conheça bem seus públicos: ao conhecer seus diversos públicos e seus hábitos de consumo, comportamentos, crenças e valores, você poderá traçar estratégias mais assertivas e personalizadas para oferecer produtos e serviços relevantes para eles;

3. Analise seus pontos fortes e fracos: tendo de forma clara seus pontos fortes e fracos e cruzando isso com as informações sobre seu mercado e público, você estruturará melhor suas decisões e chegará a resultados mais eficientes;

4. Se posicione: saiba qual é seu principal diferencial, aquilo que fará com que as pessoas comprem de você e não de seus concorrentes;

5. Tenha um propósito claro e relevante: praticamente nove entre 10 brasileiros preferem comprar de marcas que tenham impacto social — e estão dispostos a pagar até 10% a mais por isso;

6. Alinhe sua comunicação: a consistência de uma mensagem clara e fundamentada em todos os pontos de contato com o cliente ajudará a ter mais sucesso na comunicação, colaborando para o sucesso da marca;

7. Estabeleça um diálogo com seu público: as pessoas cada vez mais fazem parte da construção de uma marca - elas gostam de interagir, opinar e participar de seu dia a dia;

8. Foque na experiência: uma experiência coerente chega a constituir cerca de 48% do índice de fixação de uma marca;

Para finalizar, Saad lembra que o mercado está em constante mudança, por isso é tão importante estar atento. “Vivemos um período econômico delicado, mas se estivermos atentos as mudanças do mercado e buscarmos melhorar e adaptar com agilidade nossos produtos e serviços, conseguiremos enfrentar a crise com mais tranquilidade”, completa o especialista.
Divulgação
Divulgação