Edição 307 | Junho/17

Home/ Revista/ Edição 307/ Beleza & Estética


Clique para ver a versão impressa [+]
06/07/2017 15:08 - Atualizado em 06/07/2017 15:09

Inverno em prol da pele

Dermatologista indica tratamentos que podem (e devem) ser realizados quando as temperaturas diminuem

Divulgação
com a chegada da temporada de frio e tempo seco, a pele pode sofrer algumas mudanças. “Ela se torna mais ressecada e áspera, chegando a descamar em alguns locais”, explica a dermatologista Catarine Padoveze. Indivíduos que tem a pele oleosa podem apresentar aumento da oleosidade e, até mesmo, uma piora da dermatite seborreica, aquela descamação localizada ao redor do nariz, nos supercílios, atrás das orelhas e no couro cabeludo.
A dermatite atópica, alergia crônica que ocorre devido à deficiência de hidratação do organismo, também pode piorar no inverno, assim como a psoríase, doença crônica de caráter genético que se caracteriza por placas vermelhas com escamas grossas. Para evitar esses transtornos e garantir uma pele saudável na época mais fria do ano, Catarine indica evitar banhos muito quentes e prolongados; não se ensaboar demais e não usar buchas, pois essa ação retira a hidratação natural da pele. “Prefira sabonetes suaves e hidratantes”, ressalta.
A especialista recomenda ainda, que, após o banho, se aplique hidratante no corpo todo, especialmente nas áreas mais ressecadas. “O dermatologista saberá qual o hidratante mais indicado para sua pele”, destaca. É importante lembrar que, mesmo nos dias nublados e com chuva, o protetor solar é essencial. Aliás, existem filtros associados a hidratantes. “Os lábios também sofrem com a ação do frio, podendo rachar e até criar feridas. Não esqueça do protetor labial. Por fim, beba bastante água e coma frutas, legumes e verduras”, completa.
Ainda segundo a dermatologista, o inverno é uma época excelente para iniciar procedimentos estéticos, pois é a estação de menor radiação solar. Alguns tratamentos, inclusive, são mais aconselhados durante essa época, tais como:

1. Peelings: o peeling químico consiste na aplicação de um ou mais agentes esfoliantes na pele, resultando na destruição de partes da epiderme e/ou derme, seguida da regeneração dos tecidos, resultando no rejuvenescimento da pele com redução ou desaparecimento de manchas, rugas e cicatrizes.

2. Laser de CO2 ou radiofrequência fracionada: indicado para pessoas que buscam rejuvenescimento da pele, remoção de cicatrizes em geral (como as de acne), estrias e melhora da flacidez. Além disso, estimula a produção de colágeno, dando a pele uma aparência mais jovem.

3. Luz intensa pulsada: emite diversos comprimentos de ondas de luz e tem como alvo as sardas e vasos sanguíneos da face e colo. Aumenta a produção de colágeno (que melhora quadros de flacidez e rugas), ameniza olheiras e auxilia no tratamento da rosácea.

4. Microagulhamento com radiofrequência: é um procedimento estético que oferece a oportunidade de atenuar a aparência envelhecida da pele, reduzindo as rugas, combatendo à flacidez facial, e proporcionando uma melhora da textura e aumento da luminosidade.

5. Radiofrequência: é indicada para melhora da celulite e flacidez. Produz um aquecimento profundo da pele e do tecido adiposo subcutâneo. Tal aquecimento auxilia na formação de novo colágeno na pele e no tecido, permitindo que ele adquira firmeza.

É importante lembrar que nenhum tratamento deve ser feito sem acompanhamento médico, e é sempre importante “procurar um dermatologista para indicar o tratamento ideal para a sua pele em qualquer estação do ano”, recomenda Catarine Padoveze.
Divulgação
Divulgação