Edição 304 | 2017

Home/ Revista/ Edição 304/ Páscoa


Clique para ver a versão impressa [+]
30/03/2017 12:00

Páscoa sem culpa

Saiba como se deliciar com o alimento mais desejado dessa época do ano, sem ficar com a consciência pesada


Nossa história com o chocolate não tem data certa para começar. Quando os colonizadores espanhóis chegaram na América, viram que os índios Maias e Astecas consumiam esse alimento antes de ir para a guerra, pelo seu potencial energético. Também os imperadores tinham no cacau um alimento especial, e faziam uma bebida à base dele.
Geralmente alimento proibido quando o assunto é emagrecimento e boa forma, a chegada da Páscoa desperta aquela vontade, quase que insaciável, de se lambuzar com um pedaço de chocolate, e se para você essa data é sinônimo de culpa, o nutrólogo Mohamed Barakat te convida a refletir e quem sabe transformar a sua mente tendo um olhar novo sobre essa delícia.
Segundo o especialista, o cacau faz bem ao nosso corpo, pois é rico em flavonoides, potente antioxidante que protege o organismo contra os radicais livres, e ainda possui cafeína, tiramina e teobromina, estimulantes que melhoram o funcionamento do cérebro.
E, para quem não quer abrir mão do chocolate nesta Páscoa, Barakat avisa que o consumo da versão com 70% de cacau (ou mais) está liberada pois ela apresenta o dobro da capacidade antioxidante do chocolate tradicional, por (na maioria das vezes) não conter leite e possuir uma menor quantidade de açúcar. Apesar de ser mais saudável que as versões ao leite e branco, o doutor alerta que o consumo deve ser feito com moderação, seja o chocolate ou qualquer outro alimento. “Tudo em excesso faz mal”, enfatiza.
É importante lembrar que quanto maior a porcentagem de cacau, maiores serão os benefícios ao organismo; “além disso, é necessário que o consumo seja frequente, porém moderado, por volta de 30g por dia, o que corresponde a um quadrado de um tablete com aproximadamente 170g”, sinaliza a consultora de nutrição funcional Andrez-za Botelho. Confira outras dicas da especialista:

É verdade que o chocolate...

...faz bem à saúde?
Sim, principalmente o meio amargo (mínimo de 50% cacau), que possui ação antioxidante e ajuda a evitar doenças cardiovasculares, além de contribuir para o aumento do HDL (colesterol bom) e reduzir inflamações.

...reduz o estresse?
E também causa prazer, pois possui um composto químico chamado triptofano, que estimula a produção de serotonina no cérebro. A serotonina é um neurotransmissor que induz sensações de prazer, diminuindo assim, a ansiedade e o estresse.

...mais amargo é melhor?
Quanto mais amargo for o chocolate, maior é o seu teor de cacau, e, portanto, a sua quantidade de flavonoides, substâncias que têm ação antioxidante e cardioprotetora.

...favorece as    atividades físicas?
Ele ajuda a diminuir o risco cardiovascular durante os exercícios físicos de média duração, pois facilita a vasodilatação, atenuando a pressão arterial induzida pelo exercício, o que ajuda em um melhor desempenho e eficiência no exercício.

...ajuda a reduzir a pressão arterial?
O cacau e seus derivados são ricos em polifenóis, entre eles a procianidina, um potente vasodilatador, ou seja, reduz a pressão arterial. Além disso, esse polifenol contribui para evitar o início da Aterosclerose.        

...minimiza a dor causada por exercícios aeróbios?
O consumo de bebidas que contenham proteínas (leite, iogurte) e carboidratos do cacau logo após a prática de exercícios aeróbicos de longa duração (corridas, ciclismo, longas competições de nado, etc.) pode minimizar a dor muscular e facilitar a recuperação entre séries de treinamento. A explicação para esse benefício é a ação antioxidante dos flavonoides.

...estimula a saúde mental e a função motora?
O chocolate rico em cacau, e consequentemente em flavonoides, possui efeitos anti-inflamatório, antioxidante e vasodilatador que servem para conter distúrbios cerebrais depressivos, estabilizar o humor e melhorar atividades cognitivas relacionadas ao reflexo (por exemplo, em situações de reações rápidas, como pegar um objeto que está caindo do chão).

... aumenta a acuidade visual?
Sim, os flavonoides presentes no chocolate ajudam a melhorar a sensibilidade ao contraste visual, por propiciar maior fluxo sanguíneo tanto no cérebro quanto na retina. Isso significa uma visão com mais nitidez.

... ajuda na proteção da pele?
O consumo regular de cacau tem ação foto-protetora significativa, ajudando a minimizar o aparecimento de manchas, psoríase, acne e até mesmo o câncer de pele. Porém, o chocolate não substitui de forma alguma o protetor solar – ele é apenas mais um recurso que pode reduzir os danos causados pelos raios UV à pele.

...melhora o aspecto da pele?
Totalmente! O cacau ajuda a minimizar o estresse oxidativo, que é um dos principais fatores de deterioração da estrutura dérmica, retardando, assim, o envelhecimento prematuro da pele.

...faz bem na gravidez?
O consumo frequente, porém, moderado (30g diárias), de chocolate com 70% de cacau pode trazer benefícios para a saúde do coração e equilibrar a pressão arterial, ajudando a prevenir a pré-eclâmpsia, uma das principais complicações cardiovasculares durante a gestação.

...é um aliado ao Diabetes?
O chocolate dietético melhora o desempenho da insulina, hormônio responsável por manter o nível de açúcar no sangue dentro de padrões saudáveis, controlando o diabetes. Para quem não tem Diabetes, o chocolate comum também tem o efeito positivo de regular o nível de açúcar, o que é muito importante para saúde.

...o cacau tem potencial probiótico?
Exatamente! A ingestão de 23g diárias de cacau por quatro semanas consecutivas aumenta os bifidobactérias e lactobacilos, o que significa menos doenças intestinais, virais e bacterianas, menor ocorrência de diarreias e maior absorção e fixação de nutrientes.