Edição 267 | 2014

Home/ Revista/ Edição 267/ Mercado & Carreira


Clique para ver a versão impressa [+]
12/02/2014 10:22 - Atualizado em 12/02/2014 10:24

Patrão ‘de primeira viagem’

Dicas para quem está estreando no universo dos empresários




Muito tem se escutado sobre a situação econômica de nosso País. Enquanto alguns já se deram conta de que não dá para esperar o Carnaval passar para ‘começar o ano’, outros  decidiram mudar de vida e abrir seu próprio negócio ainda em 2014. De fato, não dá para ficar parado esperando que os grandes eventos como a Copa do Mundo e as Eleições mudem ou não o cenário econômico e investir em uma empresa própria pode ser a saída para quem não tem medo de deixar a zona de conforto.

Largar o emprego e montar o próprio negócio é objetivo de muitos brasileiros, que são considerados um dos povos mais empreendedores do mundo. Todavia, antes de planejar os negócios e as estratégias, é vital que o profissional pense em quesitos importantes para seu futuro como empreendedor.

Segundo o mestre em administração e presidente da Fran Systems, estratégia e desenvolvimento de negócios, Batista Gigliotti, o favorável momento econômico, as oportunidades disponíveis no mercado e a quantidade de oferta de empresas saudáveis à venda potencializam ainda mais este sonho de virar empresário. “Porém, eventuais riscos antes mesmo de colocar a empresa em funcionamento podem pegar o empreendedor despreparado”, ressalta. Confira as dicas do especialista:

Correr riscos: considerada a regra número um para todo empreendedor, correr riscos faz parte da rotina. Vale destacar, no entanto, que saber calcular onde e quando arriscar, além de reconhecer as áreas que não possui conhecimento e buscar ajuda, pode atenuar – e muito – as dificuldades;

Planejamentos e revisões: vital para o início e o futuro da empresa, saber exatamente o que se pretende com o negócio e como chegar lá, além de reconhecer eventuais mudanças de rumo pode auxiliar a empresa a evitar turbulências financeiras desnecessárias;

Autoconfiança: ao mesmo tempo que este item é extremamente importante para a empresa prosperar, é fundamental lembrar que a autoconfiança excessiva pode ser um risco para o negócio. Buscar uma segunda opinião profissional - de preferência de alguém que não esteja ligado emocionalmente ao empreendedor - pode ser útil antes de qualquer decisão;

Se comprometer: por mais simples que pareça, o comprometimento e a vontade de dar certo do profissional fazem diferença no sucesso do negócio e auxilia a empresa a enfrentar diversos problemas naturais;

Iniciativa: empreender é também estar atento às novidades e ao mercado de forma geral. Ter iniciativa para inovar e criar antes de ser forçado pelas circunstâncias é um dos quesitos que separa os inovadores daqueles que se baseiam apenas nas regras ditadas pelo mercado.

A opção das franquias
Considerada uma das atividades comerciais, o modelo de franquias, que consiste no direito ao uso do nome de uma marca já consolidada e sólida no mercado, ainda é uma das alternativas menos arriscadas para aqueles que desejam tornar-se empreendedores.

Segundo estudo realizado por uma consultoria especializada na estruturação de franqueadoras, entre 2009 e 2011, mais de 98 mil homens e mulheres com menos de 30 anos adquiriram uma unidade franqueada. Já de acordo com o Dossiê Universitário do Instituto Data Popular, divulgado no início do mês de outubro de 2012, o número de universitários que pretende abrir o próprio negócio chega a 55,9%. Dos 3005 estudantes entrevistados, 33,10% deles afirmam que o projeto deve ser concretizado em até cinco anos.

“O ideal para aqueles que estão apenas começando é investir em franquias, pois além do investimento atrativo, o franqueado já conta com um modelo de negócios padronizado, todo suporte necessário e uma marca que muitas vezes já está estabelecida no mercado”, explica o fundador da Resolve Franchising, holding brasileira, especializada em gestão e comercialização de franquias no território nacional, David Pinto. Dados da ABF - Associação Brasileira de Franchising, comprovam o crescimento do setor no País, que deve duplicar de tamanho até 2014, ano em que as empresas devem movimentar mais de R$ 150 bilhões.

Seja qual for a sua opção, é preciso analisar diversos fatores antes de abrir o seu negócio. O ideal é não abrir mão do emprego seguro antes de pesquisar sobre o local, os investimentos necessários e a viabilidade do seu negócio no local escolhido. O Sebrae também costuma ajudar e oferecer cursos para os novos empreendedores, além de realizar levantamentos periódicos sobre as principais necessidades de cada região.

Procure ajuda de quem entende do assunto para não entrar em uma fria, mas lembre-se: inovação pode garantir o sucesso do seu negócio.

Oferecendo informações vitais para os leitores com pouco conhecimento financeiro ou sem habilidades de gerenciamento de projetos, o livro constrói uma visão empreendedora, mostrando exatamente como começar.

“A Bíblia do empreendedor: Torne-se seu próprio chefe em 12 meses”
Autora: Melinda Emerson
Gente Editora; R$ 29,90