Turismo

Home/ Notícias Online/ Turismo/ Fortificações de Elvas, em Por...

Fortificações de Elvas, em Portugal, recebem o título de Patrimônio Mundial pela Unesco

Publicada em : 26/07/2012

Portugal, recebeu oficialmente a marca de Patrimônio Mundial pela Unesco, por seus conjuntos de fortificações datadas do século XVII a XIX

No último dia 19 de julho, a cidade de Elvas, no Alentejo, em Portugal, recebeu oficialmente a marca de Patrimônio Mundial pela Unesco, por seus conjuntos de fortificações datadas do século XVII a XIX. Entre os monumentos reconhecidos estão as Muralhas Seiscentistas de Elvas (século VXII), o Aqueduto de Amoreira (século VXII), os Fortes de Santa Luzia (século VXII) e de Nossa Senhora da Graça (século VXIII), os fortins de Santo Domingos, São Pedro e de São Mamede (século XIX) e o Centro Histórico da antiga praça-forte de Elvas.

Cidade-fortaleza ou Rainha da Fronteira, como é chamada pelos protuguesas, Elvas foi disputada pelos árabes e cartaginenses até 1229, quando foi definitivamente reconquistada por D. Sancho II. Com saída para o Oceano Atlântico e fronteira ao leste com a Espanha, suas fortificações terrestres, em formato de estrela, com impressionante extensão de até dez quilômetros, remetem ao cenário das grandes batalhas bárbaras de produções cinematográficas milionárias.

Por onde se anda em Elvas a cultura militar é presente. Do nome de suas ruas, como Rua do Quartel e Rua da Cadeira, passando pelo cinema, ainda hoje instalado em um gabinete do século XIX, é próximo à região central da cidade, por exemplo, que está o Aqueduto da Amoreira. Um contraforte de pedra, com 31 metros de altura e cerca de oito quilômetros de extensão, elevado entre 1498 e 1622, para conduzir água até Elvas.

Mas, é o Forte de Nossa Senhora da Graça ou de Lippe (em homenagem ao Marechal Wilhelm von Schaumburg-Lippe, em 1793) que confere à cidade a sua importância estratética e militar do passado. Posicionado a um quilômetro do centro de Elva, sobre o chamado Monte da Graça, compõem o forte uma capela e a Casa do Governador elevadas em uma torre central circular, de arquietura robusta, simétrica, acabada por jogos de linhas volumosas e cômodos internos espaçosos, cercadas por muralhas dispostas em formato quadrangular e completadas por baluartes pentagonais nos vértices.

Entre as inúmeras batalhas travadas na região contra a invasão de estrangeiros, o Forte de Nossa Senhora da Graça foi o principal ponto de apoio das tropas portuguesas e definitivamente eternizado nos livros de história no contexto da Guerra da Restauração contra os espanhóis, em 1658 e 1659, e durante as Invasões Francesas, entre 1810 e 1812, cuja base do exército contou ainda com o Forte de Santa Luzia, construído no século XVII (atual sede do Museu Militar de Elvas).

A cidade de Elvas pertence ao distrito de Portalegre, na parte sul do Alentejo. O reconhecimento das fortificações como Patrimônio Mundial pela Unesco aconteceu em 30 de junho último, mas somente no dia 19 de julho o título foi completado com a marca oficial do órgão internacional. Um dos fatores considerados para a eleição foram os trabalhos de requalificação, preservação, reutilização e revitalização realizados continuamente pelo município há 19 anos.

Como resultado, Elvas passa a entrar definitivamente para o roteiro de monumentos históricos no mundo, relevantes para a formação política, geográfica e social da humanidade, preservado e rico em cultura. O acesso a cidade de Elvas é fácil, podendo ser feito por carro ou ônibus, de Lisboa, em até 2h30.

Fonte:AFT Comunicação