Saúde

Home/ Notícias Online/ Saúde/ 37% dos adolescentes não conhe...

37% dos adolescentes não conhecem situações de risco para DST

Publicada em : 04/07/2011

Recente levantamento foi realizado na instalação Prevenindo a Gravidez Juvenil

Em recente pesquisa com 63 grupos de adolescentes que participaram da oficina interativa Vale Sonhar, na instalação Prevenindo a Gravidez Juvenil no espaço Catavento Cultural e Educacional (SP), o Instituto Kaplan detectou que 37% dos participantes (entre 13 e 18 anos) não conhecem as situações de riscos para contrair uma Doença Sexualmente Transmissível (DST).

“Esse número demonstra a vulnerabilidade desses jovens, quando falamos de DST a primeira relação que eles fazem é com a Aids, desconhecendo as outras doenças que podem aumentar, inclusive, as chances de se infectar com o HIV”, ressalta Camila Macedo Guastaferro, coordenadora da pesquisa e do projeto Vale Sonhar no Catavento.

O levantamento foi realizado na instalação Prevenindo a Gravidez Juvenil, no mês de fevereiro, com 1.149 adolescentes (54% do sexo feminino). Desses, 97% apresentaram conhecimento sobre o que é a sigla DST e 100% conheciam a sigla AIDS. “Isso mostra a importância das campanhas como fator de divulgação do conhecimento em saúde”, observa a coordenadora do Instituo Kaplan.

As DST mais citadas foram: HIV/Aids, gonorréia, sífilis, HPV e Herpes. 84% dos jovens apontaram que as informações foram dadas pelo professor, na escola. Só 11% tiveram conhecimento das DST em casa com os pais. Do total, 16% disseram ter acesso das informações por revistas e jornais; 9% pela internet; 5% pelas Unidades Básicas de Saúde e 4% com amigos.

“A informação passada pelo professor é importantíssima para a prevenção de DST e gravidez na adolescência. O ambiente escolar e uma metodologia adequada quebram tabus e proporcionam a oportunidade do jovem lidar com a temática de modo natural. Os pais devem intensificar o diálogo em casa para esse adolescente ter todas as condições de se prevenir contra uma gravidez fora de hora ou adquirir uma DST”, conclui Maria Helena Vilela, diretora do Instituto Kaplan.

Fonte:Instituto Kaplan