Saúde

Home/ Notícias Online/ Saúde/ Inverno pode causar problemas ...

Inverno pode causar problemas respiratórios em crianças

Publicada em : 26/06/2013

Evitar lugares fechados e ficar de olho na vacina são algumas dicas importantes para prevenir as doenças respiratórias


Com a chegada da estação mais fria do ano alguns cuidados específicos com a saúde, especialmente com as crianças são importantes. Nesta época, o tempo fica mais seco propiciando uma piora na qualidade do ar, facilitando o aumento da propagação de vírus e bactérias. Além disso, as mudanças bruscas de temperatura e o aumento da poluição do ar se tornam também motivos de preocupação.

Todos esses fatores facilitam o surgimento de doenças respiratórias em crianças, principalmente até os quatro anos de idade e naquelas mais suscetíveis às enfermidades alérgicas como bronquite, asma, rinites, sinusites, etc.

O pediatra e neonatologista Dr. Jorge Huberman aconselha os pais a tomarem algumas atitudes para prevenir esses problemas. A principal delas é manter os ambientes arejados para evitar a disseminação de vírus. “Além disso, a limpeza dos ambientes também é importante. Eles devem estar livres de sujeira e poeiras, fatores que aumentam a probabilidade de crises alérgicas nos baixinhos. Outra recomendação é a ingestão de líquidos em maior quantidade e uma alimentação saudável, com frutas, legumes, e verduras.”

Dr. Huberman explica que o uso de cobertores que soltam pelos deve ser evitado assim como o de carpetes, tapetes e cortinas. Já para o uso de aquecedores é recomendado os produtos à base de água ou óleo, pois dispõem de radiadores para a circulação do ar que aquecem o ambiente sem ressecá-lo.

Outra dica é evitar levar as crianças em ambientes muito aglomerados e lugares fechados. Inalações com soro fisiológico e vacinas também podem ajudar. "A vacinação é a maneira mais eficaz de prevenir doenças, por isso os pais devem ficar atentos e manter as vacinas das crianças em dia. E ao primeiro sinal de febre alta, tosse ou problemas respiratórios, o médico pediatra deve ser consultado”, afirma o pediatra.

Fonte:Time Comunicação