Saúde

Home/ Notícias Online/ Saúde/ Remédio gratuito para asma red...

Remédio gratuito para asma reduz em 16% as internações

Publicada em : 25/06/2013

A disponibilidade gratuita dos antiasmáticos contribuiu para a queda de 20 mil internações pela doença no período


Há um ano, o governo federal começou a distribuir gratuitamente três medicamentos para asma por meio do programa Farmácia Popular. A iniciativa já beneficiou 700 mil pessoas, desde o início do programa e triplicou o acesso ao tratamento. Só no último mês, 181 mil pessoas retiraram os medicamentos para a doença, sem qualquer custo. O sucesso da política se revela diminuição no número de internações por pacientes com crises asmáticas. O período de julho de 2012 até abril deste ano registrou uma queda de 16% no número de hospitalizações quando comparado a julho de 2011 a abril de 2012.

A redução significa 20.523 internações a menos pela doença na comparação dos dois períodos. Desde o início da gratuidade até o último mês de abril, foram registradas 108.846 internações em hospitais que atendem pelo Sistema Único de Saúde (SUS) de pacientes com crises asmáticas. Já no período anterior, 129.369 pessoas foram internadas com o mesmo problema de saúde. A diminuição das hospitalizações representa uma economia de R$ 10 milhões.

“A asma está entre as principais causas de hospitalizações de crianças, razão pela qual a presidenta Dilma Rousseff, ao lançar o programa Brasil Carinhoso, incluiu esses medicamentos na Saúde Não Tem Preço”, observa o ministro da Saúde, Alexandre Padilha. “Como resultado desta política, o número de internações por causa da doença caiu significativamente”, completou o ministro.

Para ofertar o tratamento à população, o Ministério da Saúde já investiu R$ 32,4 milhões em um ano.  Em todas as unidades do Aqui Tem Farmácia Popular, a população tem acesso a 14 medicamentos gratuitos, sendo três para asma. São eles: brometo de ipratrópio, diproprionato de beclometasona e sulfato de salbutamol, disponíveis em 10 diferentes apresentações.

Um ano depois do início da gratuidade o número de pessoas que retiram esses medicamentos cresceu 274%.  Em maio de 2012, quando esses produtos eram vendidos com desconto, 48.504 pessoas foram beneficiadas, já no mês passado o  número subiu para 181.444. 


Fonte:Agência Saúde/Ascom-MS