Saúde

Home/ Notícias Online/ Saúde/ Especialista alerta que 80% do...

Especialista alerta que 80% dos casos de rinossinusites ocorrem após infecção

Publicada em : 27/06/2011

Conheça os principais sintomas e saiba como tratar

Atualmente tem se falado muito em rinossinusite, um termo utilizado para rinite e sinusite, já que são patologias em continuidade. Normalmente a rinite acontece sozinha, mas quem possui sinusite certamente terá rinite, alerta o otorrinolaringologista Marcelo Alfredo do Hospital e Maternidade Beneficência Portuguesa de Santo André.

Cerca de 80% dos casos de rinossinusites ocorrem após infecção das vias aéreas superiores virais ou quadro alérgico. Sinusites são infecções ou inflamações que ocorrem em cavidades ósseas presentes na face e compreendem os seios anteriores e seios posteriores, ligados à cavidade nasal por meio dos meatos médio e superior.

Segundo o especialista, alterações da mucosa nasal como rinite, gripe, resfriado e desvio de septo nasal são fatores predisponentes, assim como diminuições de resistência orgânica de várias origens. “Estima-se que mais de 40% do atendimento em Pronto Socorro seja por problemas do sistema respiratório, e destes, 10% envolvem rinossinusites. Acomete indivíduos de todas as idades, porém é mais severa em extremos de idade e pacientes imunodeprimidos”, explica o médico.

Entre os principais sintomas estão sensação de peso na face, dores de cabeça, corrimento nasal, obstrução nasal e eventuais espirros, além de desconforto na garganta, tosse seca e alterações na voz, em razão da presença de secreção que migra para a garganta.

O diagnóstico é feito pelo relato do paciente, exame físico da região, exames endoscópicos e eventualmente exames de imagem, como raios-x ou tomografia. O tratamento é à base de analgésicos, medicamentos para melhora da permeabilidade nasal e antibióticos específicos contra os agentes bacterianos causadores, se esta for a origem.

Para prevenir a rinossinusite é necessário manter uma boa hidratação, alimentação, permeabilidade nasal durante os episódios de gripes e resfriados, além de identificar e tratar fatores alérgicos e desvios septais obstrutivos.

A sinusite também pode gerar possíveis complicações como otites médias, pneumonias, além de acometer as cavidades orbitárias e neurológicas. Mas, vale lembrar que toda sinusite tem cura, as agudas e subagudas têm tratamento clínico e as crônicas são resolvidas com cirurgia.

Atualmente os procedimentos cirúrgicos nasossinusais são feitos por microcirurgia, com auxílio de microscópios ou endoscópios. Tem por objetivo remover fatores obstrutivos, secreções e pólipos nasais, além de restabelecer o fluxo de ar e permeabilidade nasal.

Fonte:MP & Rossi Comunicações