Saúde

Home/ Notícias Online/ Saúde/ Vai sambar?

Vai sambar?

Publicada em : 21/01/2013

Devido a folia excessiva, há um aumento de 20% nos casos de ataques cardíacos e derrames


Carnaval é sinônimo de diversão, mas também é um período que o coração pode ficar sobrecarregado por conta da folia excessiva. O que comprova isso é o aumento de 20% nos casos de ataques cardíacos e derrames, causados pelo consumo excessivo de álcool, cigarro, drogas, alimentação incorreta e noites sem dormir.

Pessoas com problemas cardíacos, ou não, devem ficar atentas a qualquer sintoma diferente, como cansaço além do normal, falta de ar, dor no peito, tonteira e palpitações.

Para alertar a população sobre os cuidados que devem ser tomados antes e durante o Carnaval, o Instituto Nacional de Cardiologia de (INC) dá dicas:

1.                 Quem pretende aproveitar os dias de festa e já teve problemas no coração deve consultar um cardiologista. Não é proibido que hipertensos, diabéticos e pessoas com doença valvar ou nas coronárias brinquem durante o período, mas esses foliões devem realizar exames clínicos, eletrocardiograma, teste ergométrico e exames de sangue para verificar se a saúde está em dia. Com resultado satisfatório, é só cair na folia, respeitando os limites do organismo, é claro. 

2.                 Aqueles que vão sair atrás de bloco ou desfilar em escola de samba devem checar o preparo físico. Dias antes da folia, Marco Antônio de Mattos, diretor do INC, sugere caminhadas intercaladas com pequenas corridas, hidroginástica, esteira ou bicicleta ergométrica, que vão auxiliar na melhora do condicionamento físico.

3.                 O pessoal que vai cair no samba não pode esquecer de manter o organismo hidratado. De acordo com Marcelo Barros, chefe da nutrição do INC, além de muita água é indicada a ingestão de isotônicos, água-de-coco, suco de laranja ou de abacaxi com hortelã. “Uma boa receita é um suco de kiwi batido com água-de-coco”, ensina Barros.

4.                 No Carnaval, as pessoas não costumam se alimentar corretamente. Muitos acabam esquecendo de consumir  saladas e pratos leves, que as altas temperaturas do verão pedem. O consumo de gorduras aumenta o colesterol, um dos fatores de risco para o infarto. Para quem vai pular de um bloco para o outro e terminar o dia na Marques de Sapucaí, o nutricionista Marcelo Barros sugere que o folião leve o seu sanduíche de casa. Algumas receitas: queijo minas com peito de peru e requeijão light; ricota com passas e cenoura ou beterraba, cruas e raladas; ricota com damasco e peito de peru, pasta de ricota temperada com salsa, cebolinha e alho picado. Outras dicas leves e práticas são as frutas, que alimentam e ajudam a hidratar, como abacaxi, melancia, melão, pêra, maça e tangerina. Marcelo lembra também das frutas secas, como passas, damasco e ainda as castanhas, que não ocupam muito espaço dentro de bolsas e são muito nutritivas.

5.                 Do mesmo jeito que as pessoas abusam na alimentação, uma atenção especial vai para quem fecha a boca com a intenção de perder uns quilos. Não dê ouvido a dietas milagrosas, que prometem a perda de peso em poucos dias. Fechar a boca na semana anterior ao Carnaval não resolve e ainda deixa o organismo fraco, o que pode ocasionar uma hipoglicemia (perda de açúcar no sangue), comprometendo as atividades que exigem esforço.

6.                 A emoção descontrolada pode elevar a pressão arterial, o que é um perigo para o coração. O hipertenso deve reduzir o sal e consumir frutas que tenham potássio, como banana, laranja, melão, caju e frutas secas. É importante verificar sempre a pressão e mantê-la sob controle. Algumas dicas são retirar o saleiro da mesa, usar leite desnatado e seus derivados (sem sal), comer peixe pelo menos duas vezes na semana, dar preferência às carnes brancas e carne magra de boi, evitar temperos industrializados, como caldos concentrados de carne e frango, catchup, mostarda, molho de soja e molho inglês.

7.                 Em caso de estresse, procure controlá-lo. Caminhe diariamente pelo menos por 30 minutos. A atividade física com orientação é sempre um bom remédio.

Fonte:Núcleo Geral