Saúde

Home/ Notícias Online/ Saúde/ Dia do Combate ao Estresse

Dia do Combate ao Estresse

Publicada em : 17/09/2018

Como o estresse pode colocar em risco tudo o que existe de mais importante na sua vida

Divulgação
Embora o estresse tenha um lado bom, em níveis elevados ele compromete a capacidade de trabalho, afeta os relacionamentos e pode ter efeitos devastadores na saúde, colocando em risco as coisas que são mais importantes na vida das pessoas.

O estresse afeta os sistemas nervoso, endócrino e imunológico do indivíduo. Pesquisas revelam que o estresse excessivo está associado ao desenvolvimento de uma série de doenças físicas como câncer, diabetes, hipertensão e infartos. Além de doenças físicas graves que podem ser fatais (como as cardíacas), o estresse também está por trás do desencadeamento ou agravamento de doenças psíquicas como a depressão, a ansiedade e a síndrome do pânico.

Depressão e estresse crônico podem se confundir, pois alguns sintomas são semelhantes. Em ambos, o sofrimento e os impactos negativos na percepção que a pessoa tem de si e do mundo são enormes. Sentimentos de menos valia, auto depreciação, sentimento de incapacidade, insegurança, medos, perda de prazer e de sentido na vida podem estar presentes no estresse excessivo e na depressão. Muitas pessoas sofrem caladas e sozinhas por vergonha, medo ou preconceito, o que contribui para agravar o quadro.
Situações de crise podem provocar intensa angustia e sofrimento emocional. Importantes estressores como dificuldades financeiras, doenças graves, perdas significativas, problemas escolares ou no emprego, separação conjugal, conflitos familiares, quando associados ao desespero, ao desamparo e à desesperança e movido pela impulsividade característica de níveis elevados de estresse podem se tornar fatores de risco de suicídio.
Quando se trata de estresse e saúde mental, indicadores alarmantes denunciam seus impactos e o sofrimento das pessoas, evidenciando a necessidade de ações individuais e coletivas emergenciais:
  • Segundo a OMS, 9 a cada 10 pessoas possuem níveis elevados de estresse.
  • O Brasil é o país com maior prevalência de depressão da América Latina, afetando cerca de 11,5 milhões de brasileiros (OMS).
  • O Brasil é o país com maior prevalência de ansiedade do mundo (OMS).
  • Estima-se que a cada 4 segundos uma pessoa tente suicídio e a cada 40 segundos uma o efetiva, somando cerca de 800 mil pessoas mortas por esta causa por ano no planeta (OMS).
  • A depressão grave é o principal fator de risco de suicídio, hoje a quarta causa de morte entre os jovens no Brasil.
  • Muitos suicídios são cometidos por impulso, em situações agudas de intenso sofrimento e desespero, mediante elevado estresse e pressão.
  • Os transtornos mentais já são a terceira causa de afastamento no trabalho (INSS).
  • Cerca de 70% dos brasileiros ativos no mercado de trabalho sofrem sequelas do estresse elevado, que compromete a sua saúde e capacidade laboral.

O que pode ser feito

Aprender a gerenciar o estresse e as emoções é fundamental para a manutenção da saúde, a promoção do bem-estar e uma vida produtiva com plena realização do potencial humano. Em um mundo repleto de estímulos e informações, saber filtrar e separar o essencial do trivial diminui a ansiedade, aumenta o foco e elimina desperdícios de tempo e energia. Portanto investir no autoconhecimento, aprimorar a capacidade de lidar com conflitos e pressão, focar nas soluções para os problemas, desenvolver hábitos saudáveis, construir e manter relacionamentos significativos e uma rede de apoio, ser capaz de pedir ajuda e aceitar que somos seres imperfeitos em permanente construção são fundamentais e essenciais. E em muitos casos, buscar ajuda especializada de um psicólogo ou psiquiatra pode fazer toda a diferença.

Muitos desafios da vida podem ser grandes oportunidades de aprendizado e crescimento. Preencha gratuitamente o teste Equilíbrio da Vida na nossa página e descubra em que áreas você precisa focar para ter resultados positivos no bem-estar e controle do estresse.
A psicóloga Rosalina Moura é especialista em gerenciamento do stress e coach de bem estar e saúde, com certificações nacionais e internacionais.  Foi coordenadora da área de psicologia do IOT do Hospital das Clínicas de São Paulo por 10 anos. Desenvolveu programas e metodologias para o gerenciamento do stress e em 2001 ela criou a RUMO, que hoje tem como foco principal de atuação o desenvolvimento de programas de Prevenção e Gerenciamento do Stress para pessoas e empresas. É autora de capítulos de livros e colaboradora em programas de Rádio e TV.

Por: Rosalina Moura
www.rumosaudavel.com.br

Fonte:Flavia Fusco Comunicação