Notícias

Home/ Notícias Online/ Notícias/ Paralisação no atendimento

Paralisação no atendimento

Publicada em : 09/10/2014

Fisioterapeutas e Terapeutas Ocupacionais não receberão novos pacientes nos dias 13 e 17 de outubro

diculgação
Entre os dias 13 e 17 de outubro, os cerca de 70 mil fisioterapeutas e terapeutas ocupacionais do estado de São Paulo não receberão novos pacientes de planos de saúde. A mobilização foi decidida em audiência pública da categoria, realizada em 9 de setembro no Conselho Regional de Fisioterapia e Terapia Ocupacional da 3ª Região (Crefito-3).

"Embora a indignação de todos nós com a relação injusta entre profissionais e operadoras seja antiga, nunca nos posicionamos coletivamente, e de maneira firme, de modo a obrigar as empresas a negociar melhores condições de assistência aos pacientes", afirmou o presidente do Crefito-3, Reginaldo Antolin Bonatti, durante a Audiência.

As operadoras de saúde impõem aos profissionais uma relação injusta, com contratos abusivos, o que acarreta dificuldades à assistência, obrigando o fisioterapeuta e o terapeuta ocupacional a nem sempre conseguir prestar um serviço de qualidade à população.

Soma-se à dificuldade de atendimento e às péssimas condições de trabalho o não esclarecimento à população de que pode procurar um fisioterapeuta ou um terapeuta ocupacional mesmo sem a intermediação de um médico.

Além disso, os valores pagos por cada sessão são considerados ínfimos, por vezes variando entre R$ 4,00 e R$ 6,00 por hora de atendimento, valores que não são reajustados há 20 anos.

"Todas essas questões, somadas à restrição do número de sessões, à frequentes glosas e também atraso nos pagamentos de valores já bastante baixos, têm tornado quase inviável a oferta do trabalho dos profissionais de fisioterapia e terapia ocupacional", revela o presidente do Crefito-3. "O mais absurdo é saber que as operadoras promovem aumento de valores dos planos e não o repassam aos profissionais que prestam a assistência, numa demonstração de desrespeito e descaso aos profissionais e com a população".

Fonte:Conselho Regional de Fisioterapia e Terapia Ocupacional da 3ª Região