Notícias

Home/ Notícias Online/ Notícias/ Feira das Flores

Feira das Flores

Publicada em : 09/09/2014

Ceasa antecipa tendências de jardinagem, decoração e paisagismo

divulgação
Em setembro começa a Primavera, época propícia para conhecer a maior feira de flores e plantas do país, que acontece no Ceasa, Companhia de Entrepostos e Armazéns Gerais de São Paulo. Realizada no pavilhão MLP, com mais de 20 mil m² e produtos de cerca de 1.100 produtores de flores, plantas, grama, mudas, acessórios e artesanato, a feira pretende também ser tornar uma referência para o turismo na cidade de São Paulo.

Realizada todas as terças e sextas-feiras, das 5h às 10h30m, a feira de flores do Ceasa reúne opções variadas de flores, como gérbera, orquídea, rosa, boca-de-leão, copo-de-leite, estrelícia, violeta, lírio, dália, girassol, entre muitas outras. Katsumi Hata, proprietário do Orquidário Hata, coleciona orquídeas raras de vários lugares do mundo, como Peru, México e índia. “Estou há 20 anos na Ceagesp comercializando orquídeas comuns e raras. As raras vem da minha própria coleção”, diz.

As tendências da estação são as flores orquídeas, íris, fresias e gardênias, as folhagens paulistinha e dedo de anjo, além do aspargo, natural e pintado, e as flores de vime. Com preços atrativos e uma gama de mais de três mil tipos de produtos, a feira atende paisagistas, decoradores, empresas de eventos, além de compradores particulares e antecipa tendências de jardinagem, decoração e paisagismo.

“A Folhagem Laka é uma novidade importada da Austrália. Já a Palmeira Azul agora é moda”, diz Ronis, proprietário da R.J. Plantas Ornamentais. Além das flores e folhagens, é possível ver na feira árvores nativas, cerejeiras, camélias vermelhas, primavera, manacá da serra e arbustos ornamentais.

Os produtos têm origem no Estado de São Paulo e são cultivados nas cidades de Holambra, Mogi das Cruzes, Cotia, Bragança, entre outras. Pela Ceagesp, que distribui flores para praticamente todo o Brasil e também para países do Mercosul, passam cerca de 4 mil toneladas de flores de corte e de vaso, que geram receitas mensais de R$ 20 milhões.

Fonte:COMMUNICA BRASIL