Notícias

Home/ Notícias Online/ Notícias/ Atendimento suspenso

Atendimento suspenso

Publicada em : 10/08/2011

Médicos anunciam planos e operadoras de saúde que deixam de atender

O presidente do Sindicato dos Médicos de São Paulo (Simesp), Cid Carvalhaes e os presidentes do Conselho Regional de Medicina de São Paulo (Cremesp), e da Associação Paulista de Medicina (APM), que juntamente com as Sociedades de Especialidades compõe o Movimento Médico, estiveram reunidos nesta quarta-feira, 10/8, para anunciar a suspensão de atendimento, a partir do dia 1 de setembro, aos seguintes planos e seguradoras de saúde: Ameplan, Assefaz, Cetesb, Companhia de Engenharia de Tráfego (CET), Green Line, Intermédica, Mediservice, Notredame, Porto Seguro, Prosaude, Vale e Volkswagen. Somados, os 12 planos possuem por volta de 3 milhões de usuários no estado.

Carvalhaes, explica que a paralisação faz parte das ações do Movimento Médico e tem como objetivo pressionar as operadoras a negociar os reajustes nos valores de consultas e procedimentos e também coibir a interferência da saúde suplementar nas decisões tomadas pelos médicos. “O Movimento Médico visa, principalmente, melhorar as condições no atendimento ao paciente, uma vez que, atualmente as operadoras têm interferido permanentemente nas decisões médicas. São uma série de exames, internações e cirurgias negadas diariamente pelos planos sem qualquer motivo ou explicação”, completa o presidente que também está á frente da Federação Nacional dos Médicos (FENAM).

A paralisação escalonada será apenas para atendimentos eletivos, para que em momento algum o paciente seja prejudicado. “Nosso objetivo não é lesar o usuário, e sim alertar para o fato de que ele já é prejudicado. Quando precisa marcar uma consulta e não consegue, quando seu médico solicita um exame e este lhe é negado. Inclusive o Movimento conta com o apoio de entidades defensoras do consumidor como o Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (IDEC), a Associação dos Usuários de Planos de Saúde (Aussesp) e a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB). O usuário precisa saber que enquanto ele paga mil reais por mês por um plano de saúde, seu médico está recebendo 25 reais por consulta”, afirma Cid Carvalhaes.
Vale lembrar que o cronograma de suspensão de atendimento será escalonado por especialidades e está definido da seguinte forma:

1 a 3 de setembro - Ginecologia e Obstetrícia
8 a 10 de setembro - Otorrinolaringologia
14 a 16 de setembro – Pediatria
19 e 20 de setembro - Ortopedia e traumatologia
21 a 23 de setembro - Pneumologia e tisiologia
28 a 30 de setembro - Cirurgia Plástica

Fonte:RS Press