Notícias

Home/ Notícias Online/ Notícias/ Carlos Cristóvão

Carlos Cristóvão

Publicada em : 04/02/2019

Ciclista que disputou mundiais dá exemplo de superação e incentiva o esporte

Divulgação
Manter uma vida saudável não é fácil. Uma boa opção para fugir do sedentarismo é algo que muitos faziam durante a infância: andar de bicicleta. Além de extremamente saudável, o esporte pode ser incluído no dia a dia sem muita dificuldade.
Carlos Cristovão, atleta de mountain bike há 25 anos, é formado em nutrição e educação física, atua desde 2015 como treinador na cidade de São Bento do Sapucaí (SP), cidade próxima a São José dos Campos, onde desenvolve o treinamento de acordo com a necessidade do aluno, tanto para a prática casual do esporte, quanto para competições de alto nível.

“Além dos altos níveis de adrenalina e liberação constante de endorfina, ao andar de bicicleta você trabalha quase todas as regiões do corpo ao mesmo tempo, o quadríceps, posterior da coxa, panturrilha, glúteos, abdominal e extensores da coluna. Até mesmo os músculos do ombro, braço e antebraço são desenvolvidos. O ciclismo é um dos melhores esportes para se manter saudável”, avalia o treinador.

Carlos sempre viveu o esporte. Até os 12 anos praticava atletismo. Quando aprendeu a andar de bicicleta e, por mostrar muita aptidão e paixão, aos 14 anos começou a participar de campeonatos e não parou mais.
Ao longo de sua trajetória como atleta, conviveu com grandes nomes como Erivan de Lima (Campeão do Brasileiro, Panamericano e Sulamericano) e Adriana Nascimento (Campeã Brasileira 10 vezes consecutivas) e conquistou importantes títulos, como o de vice-campeão Brasileiro, Campeão Paulista, Melhor Atleta do Vale do Paraíba, Campeão do MTB 12 horas e disputou o mundial, mas nem só de altos sua vida é feita.

Em 2003, o atleta foi convidado pela Bianchi (montadora Italiana de bicicletas) para treinar na Itália para a categoria Elite, mas, infelizmente sofreu um acidente antes de ter a oportunidade de pisar na Itália. O atleta foi atropelado por um ônibus, quebrou 4 costelas, perdeu o movimento do braço direito, teve uma protusão discal e devido a uma batida forte com a cabeça, perdeu a fala. Após um tempo de sessões de fisioterapia e fono, Carlos voltou a disputar campeonatos, entre eles, os mundiais de 2005 e 2010.

Hoje, além de continuar competindo, Carlos aplica seus conhecimentos em sua academia (Saúde e Performance) como treinador para ensinar o ciclismo profissional e o recreativo. A escolha de ensinar em São Bento do Sapucaí, foi estratégica, como é uma cidade do interior, o ciclista se envolve mais com a natureza, além da paisagem que ela proporciona, o ar é melhor e existem várias trilhas pela qual podem treinar, fora que a cidade fica a 30 km da bela Campos do Jordão.

“Para pedalar, envolve uma série de exercícios tanto na bicicleta, como fora dela. Fora temos treinamentos como leg press, para trabalhar os quadris, agachamento smith, para os membros inferiores, supino, entre outros. Na bicicleta, temos treino de prospecção, para o equilíbrio, subida, velocidade, são muitos os treinos” diz o treinador.

A procura pelo treinamento de Carlos expandiu para além de São Bento do Sapucaí, inclusive, muitos paulistanos procuram seus cuidados. A medida que o treinador tomou para a distância, foi à partir da primeira visita presencial, moldar planilhas com todo regime de treinamento de acordo com a necessidade do cliente, continuar o acompanhamento por telefone, mas, é imprescindível uma aula presencial por mês.

Além de ser treinador, Carlos presta serviços de passeios de bicicleta por trilhas locais com
interessados aos finais de semana, pois, ele gosta de mostrar os benefícios que a bicicleta pode trazer a saúde física e mental.


Quatro dicas de trilhas para pedalar na região de Campos do Jordão

Carlos Cristóvão cria roteiro para praticar mountain bike e fugir das programações comuns

Quando falamos de Campos do Jordão, logo vem em mente imagens de passeios a dois, chocolate quente e inverno com cara de Europa. Porém a charmosa cidade é bem mais que isso e pode ser desfrutada em grupos e em épocas de temperaturas mais elevadas. Uma das alternativas é a variedade de trilhas que possibilitam práticas de esportes radicais.

Carlos Cristóvão, atleta de mountain bike, guia passeios de bicicleta por trilhas na região aos finais de semana e ensina os benefícios que o esporte pode trazer a saúde física e mental. Além disso, ele desenvolve treinamentos de ciclismo profissional e recreativo em sua academia (Saúde e Performance), localizada em São Bento do Sapucaí.

“Pedalar envolve uma série de exercícios tanto na bicicleta, como fora dela. Temos treinamentos como leg press, para trabalhar os quadris, agachamento smith, para os membros inferiores, supino, entre outros. Na bike, temos treino de prospecção, para o equilíbrio, subida, velocidade e muitos outros treinos” diz Cristóvão, que já disputou mundiais e recebeu títulos de campeão na modalidade.

Pensando em roteiros atípicos, o ciclista separou quatro dicas de trilhas ideais para o esporte. As sugestões vão desde as mais fáceis, para iniciantes, até as de níveis elevados, para os profissionais. Confira:

1 - Zoom Bike Park
Destinado tanto para pessoas com pouca prática quanto para experientes, o Zoom Bike Park é um espaço de mountain bike em Campos do Jordão perfeito para alugar bicicletas e ter uma experiência radical.

Com 32 km de “single tracks” — sendo que 22 km foram construídos do zero, seguindo orientações internacionais no padrão IMBA (International Mountain Bicycling Association) —, o visitante conta com 18 trilhas que, ao pedalar uma por vez, resulta em aproximadamente 46 km de percurso.

Em toda a infraestrutura de atendimento, o turista encontra lojinha, aluguel de mountain bikes, estacionamento, vestiários, box lava bike,  serviços de tirolesas, passeios à cavalo, arborismo, restaurante, lanchonete e chalés para hospedagem.

2 - Trilha do zigue-zague (Zig-Zag)
Famosa desde os anos de 1980, quando aconteciam as corridas de motos, a Zig Zag é uma das trilhas mais procuradas da região. Seu ponto mais alto fica a 1.659m acima do nível do mar, com extensão de 15 km, e leva de 1h30 a 2h para completá-la.

A trilha, que se alterna entre single track e aberta, é considerada difícil por ter 10 km de extensão. Porém, a caminhada é compensadora quando, nos 2 km antes de terminar a trilha, aparece a estonteante cachoeira do Lajeado, um dos pontos turísticos mais importantes de Santo Antônio do Pinhal, onde se pode tomar um banho revigorante.

3- Big Biker
A prova é disputada anualmente desde 2001 no sistema maratona, em que o ciclista percorre grandes distâncias por todo tipo de via em uma única volta. Algumas etapas podem chegar a mais de 100 km de percurso consagrando-se vencedor o atleta com o menor tempo de prova. As categorias são Pró e Sport, diferenciadas pela distância a ser percorrida e dentro de cada uma delas, os atletas são divididos por idade.
Um dos percursos atravessa Campos/Santo Antônio do Pinhal e São Bento. Carlos gosta de treinar e levar seus alunos, pois é um circuito com subidas duras e técnicas, com algumas descidas velozes.

4 - Travessia do Baú
Localizado na Serra da Mantiqueira, com picos de até mais de 2 mil metros, o trajeto liga Campos do Jordão e São Bento do Sapucaí. O visitante pode até sair de São Paulo pedalando para transformar o passeio em uma viagem de um dia.

Na estrada de terra, há uma apreciável vista da Pedra do Baú e estabelecimentos de refeição. Muitas estradas levam a famosa Baú e à Estrada do Campista.

Não importa se a trilha é fácil ou difícil, Carlos recomenda que o ciclista se hidrate muito e proteja a pele contra os raios solares, além de aquecer o corpo antes dos passeios.

Atleta de mountain bike há 25 anos, é formado em nutrição e educação física. Atua desde 2015 como treinador em São Bento do Sapucaí (SP), cidade próxima a São José dos Campos, onde desenvolve o treinamento de acordo com a necessidade do aluno, tanto para a prática casual do esporte quanto para competições de alto nível.

Carlos sempre viveu o esporte. Até os 12 anos praticava atletismo e, quando aprendeu a andar de bicicleta, mostrou muita aptidão e paixão. Começou a participar de campeonatos aos 14 e não parou mais.

Ao longo de sua trajetória como atleta, conquistou importantes títulos, como o de vice-campeão Brasileiro, Campeão Paulista e Melhor Atleta do Vale do Paraíba, além de Campeão do MTB 12 horas. Carlos também disputou o mundial, mas nem só de altos sua vida é feita.

Em 2003, o atleta foi convidado pela Bianchi, montadora Italiana de bicicletas, para treinar na Itália na categoria Elite. Infelizmente, sofreu um acidente antes de ter a oportunidade de pisar na país europeu. O atleta foi atropelado por um ônibus e teve quatro costelas quebradas. Perdeu o movimento do braço direito, teve uma protusão discal e, devido a uma batida forte com a cabeça, perdeu a fala. Após um tempo de sessões de fisioterapia e fono, Carlos voltou a disputar campeonatos, entre eles, os mundiais de 2005 e 2010.

Hoje, além de continuar competindo, Carlos aplica seus conhecimentos em sua academia, a  Saúde e Performance, como treinador para ensinar o ciclismo profissional e o recreativo. A procura pelo treinamento de Carlos expandiu para além de São Bento do Sapucaí. Inclusive, muitos paulistanos procuram seus cuidados.
Divulgação

Fonte:VIRA Comunicação