Cultura

Home/ Notícias Online/ Cultura/ Bichado

Bichado

Publicada em : 25/06/2014

Texto do premiado autor Tracy Letts, comédia de humor negro retrata de forma visceral uma história de amor cercada de paranoia anárquica

Guilherme Griebler
Indicada ao Prêmio Shell 2012 de Melhor Cenário, o espetáculo BICHADO reestreia dia 16 de julho, quarta-feira, às 21h, no Viga Espaço Cênico. Escrita pelo premiado autor americano Tracy Letts, comédia de humor negro retrata, de forma visceral, uma história de amor cercada de paranoia anárquica. Com direção de Zé Henrique de Paula, montagem é encenada pelo Núcleo Experimental.

O Espetáculo narra o encontro de Peter, um soldado desertor da Guerra do Golfo, e Agnes, uma garçonete que perdeu seu filho num supermercado e é surpreendida pela visita do ex-marido que acabou de sair da prisão. Toda ação acontece num quarto de motel. Num dado momento, Peter e Agnes começam a desconfiar que não estão sozinhos no quarto, e embarcam numa improvável e perigosa conspiração onde os limites do real passam a ser questionáveis, principalmente pela plateia.

“A peça fala de amor e completude, Peter e Agnes, são seres desajustados e perdidos num mundo perturbador que não podem compreender. Quando se encontram tentam preencher a qualquer custo, as lacunas de seus traumas e dores vividas. Sob o olhar turvo e distorcido a respeito da realidade, mergulham na busca de sentido para suas vidas, ainda que esse mergulho seja loucamente arriscado”, declara a atriz Einat Falbel.

“É uma peça de diálogos rápidos e afiados, carregados de humor negro, muitas vezes sarcástico. Porém, por trás dessa acidez existe uma camada mais profunda, quase antagônica, que é uma reflexão sobre os tempos modernos e o avanço desenfreado das tecnologias, a diminuição da privacidade e a descrença nos governos e nas formas de poder em geral. Essa tensão, esse atrito entre as duas camadas permitem o estranhamento e o riso”, afirma o diretor Zé Henrique de Paula, que assina também o cenário e figurinos.

O cenário retrata de forma bem realista um quarto de hotel de beira de estrada do centro-oeste americano. Certas referencias do Pop dos anos 80 e 90, além do universo HQ compõem os elementos cenográficos e os figurinos dos personagens. A iluminação, de Fran Barros, é sutil em determinados momentos da peça, intercortada, às vezes indicando a hora do dia, às vezes realçando determinado clima ou mudando abruptamente a atmosfera do quarto. A trilha sonora, de Fernanda Maia, utiliza dessas transições para oferecer um contraponto às cenas em si, que têm tratamento absolutamente realista.

BICHADO estreou em abril de 2012, no Núcleo Experimental, onde realizou duas curtas temporadas. No início de 2014, espetáculo participou da Mostra Oficial do Festival de Curitiba. Ainda este ano, fez uma temporada de 6 semanas no Teatro Citecum, em São Paulo. Montagem reúne no elenco os atores Einat Falbel, Paulo Olyva, Adriana Alencar, Rodrigo Caetano, Fabio Redkowicz e Felipe Ramos.

Tracy Letts: O ator, dramaturgo e roteirista norte-americano Tracy Letts é um dos mais respeitados e cultuados de sua geração. Em 2004, Letts foi indicado para o Prêmio Pulitzer de Drama por sua peça A man from Nebraska. Em 2008, foi o vencedor do Prêmio Tony, do Drama Desk Award e do Prêmio Pulitzer de Drama pela peça August: Osage County. Em 2013, fez a adaptação de August para o cinema no filme dirigido por John Wells e protagonizado por Meryl Streep (indicado ao Oscar de melhor atriz - no Brasil: Álbum de Família). Letts também escreveu os roteiros para filmes de longa-metragem: Bug (dirigido por William Friedkin e baseado na peça de mesmo nome que ele escreveu) e Killer Joe (também dirigido por William Friedkin e também baseado em peça de sua autoria). Com Killer Joe, Letts foi indicado para o Saturn Award da Academia de Ficção Científica, Fantasia & Horror Films, na categoria "Melhor Roteiro".

Zé Henrique de Paula: Bacharel em Arquitetura e Urbanismo pela Universidade Mackenzie e pós-graduado em Artes Cênicas pela Escola de Comunicação e Artes da USP. Foi assistente do cenógrafo J.C. Serroni em Nova Velha Estória e Trono de Sangue. Dirigiu A Comédia dos Erros, Judas em Sábado de Aleluia, É 20! As Folias do Século, Revelação, Noite de Reis, Naked Boys Singing, O Despertar da Primavera, R&J, Mojo, Side Man, Novelo, além das peças do repertório do Núcleo Experimental: Senhora dos Afogados, Cândida, As Troianas – Vozes da Guerra, O Livro dos Monstros Guardados, Casa/Cabul, O Contrato e Bichado. Atuou em O Jovem Hamlet, A Comédia dos Erros, É 20! As Folias do Século, Mojo, Camaradagem e Amargo Siciliano. Indicado ao Prêmio Shell em 2009 e 2010, como Melhor Diretor, por As Troianas – Vozes da Guerra e Side Man, respectivamente e em 2012 como Melhor Cenógrafo por Bichado e Melhor Figurinista por L'Illustre Molière.

Núcleo Experimental: O Núcleo Experimental é um grupo de artistas que se dedica a explorar novos autores e repensar os clássicos. Focando na busca de excelência artística, na formação e aperfeiçoamento de seus atores e na opção por textos que dialoguem com a sociedade contemporânea, uma de suas vertentes é, também, explorar a relação entre a música e o teatro. A vitalidade dos processos de criação é resultado do intercâmbio e maturação da equipe por meio do trabalho com profissionais de formação heterogênea. Além da equipe estável, vários profissionais da cena paulistana participam das montagens. Uma das características que justificam a existência de um grupo é a atividade contínua e rotineira de pesquisa de linguagem. Um repertório só pode ser resultado desta continuidade. Foram 11 peças produzidas, 14 indicações a prêmios e um público direto de mais de 90.000 espectadores. A política de repertório permite ainda ao Núcleo Experimental contar hoje com 55 atores e 14 técnicos.


BICHADO – Reestreia dia 16 de julho de 2014, quarta-feira, às 21h. Texto: Tracy Letts. Direção: Zé Henrique de Paula. Direção Musical: Fernanda Maia. Com a Cia Núcleo Experimental. Elenco: Einat Falbel, Paulo Olyva, Adriana Alencar, Rodrigo Caetano, Fabio Redkowicz e Felipe Ramos. Duração: 90 minutos. Recomendação: 16 anos. Ingressos: R$40,00 (Inteira) e R$ 20,00 (meia). Quartas e Quintas, às 21h. Até 4 de setembro.

OBS: Nos dias 30 e 31 de julho não haverá apresentação.

VIGA ESPAÇO CÊNICO
Rua Capote Valente, 1323 – Sumaré, tel: 3801-1843. Capacidade 80 lugares. Bilheteria abre uma hora antes do espetáculo. Aceita cartões. Ar condicionado. Café.

Fonte:Amália Pereira