Cultura

Home/ Notícias Online/ Cultura/ Queremos Miles!

Queremos Miles!

Publicada em : 22/11/2011

A mostra procura reconstituir a trajetória do músico

A mostra, que já passou por Paris, na Cité de la Musique, e no Museum of Fine Arts, de Montreal acontece no mesmo período em que se completam cinquenta anos da gravação
de suas obras primas “Kind of Blue” e “Sketches of Spain” e quarenta anos após o lançamento de seu revolucionário álbum “Bitches Brew”.

No Brasil, a exposição já esteve no Centro Cultural Banco do Brasil, Rio de Janeiro. Organizada pelo Cité de la Musique, com curadoria de Vincent Bessiéres, “Queremos Miles!” – que ocupa aproximadamente 600m² no segundo andar do SESC Pinheiros– é dividida em blocos temáticos que, ligados cronologicamente, conseguem apresentar a maior parte da
carreira de Miles Davis. A mostra combina imagem e som numa tentativa de recriar a experiência sensorial inspirada por Miles Davis pessoalmente.

Para isso, serão exibidas mais de 300 peças, entre partituras originais; manuscritos; instrumentos de seus companheiros de viagem e cedidos pela família de Miles; filmes documentários; obras de arte (como pinturas de Jean Michel Basquiat e Mati Klarwein, fotografias de Annie Leibovitz e Irving Penn); roupas; documentos originais utilizados para a realização dos seus discos; figurinos; prensagens vintage de seus discos, além de uma excepcional coleção de trompetes.

Instrumentos - A mostra procura reconstituir a trajetória do músico, partindo da cidade onde passou sua infância, East St. Louis, até o concerto retrospectivo que fez no La Villette de Paris, poucas semanas antes de sua morte. Entre as preciosidades que o público terá acesso estão a bateria com a qual Al Foster tocou com o Miles Davis nos anos 80, um trompete pintado de verde com o nome do Miles Davis gravado, provavelmente usado para ilustrar Big Fun, um trompete vermelho com o qual Miles tocou nos anos 80, com seu nome gravado, um saxofone do John Coltrane nos anos 50, entre muitos outros objetos.

Toda a cenografia foi desenhada em torno da música de Miles, o que permitirá ao visitante escutar com conforto e descobrir as mais iconográficas gravações dessa figura, que ainda hoje desperta admiração e cuja influencia ultrapassou os limites do jazz. A tecnologia das instalações cenográficas permite ao visitante descobrir a trajetória do artista, com temas como a infância em St. Louis, a descoberta do sonho do bebop, a abertura do caminho para o cool jazz em Paris; a união com a vanguarda jovem negra do novo hard bop; a vitória contra as drogas; a invenção do estilo de jazz livre e intuitivo; a negritude até a renovação dos laços com seus parceiros anteriores antes de sua morte em 1991.

“’Queremos Miles’ permitirá desvendar a história de imenso talento dessa legendária figura que ainda hoje desperta admiração apaixonada, e cuja influência, certamente ultrapassou
os limites do jazz por suas reflexões sobre questões raciais, políticas e de comportamento social”, analisa o curador Vincent Bessières.

Intercâmbio - Vale lembrar que essa trajetória não deixa o Brasil de fora, já que o “caminho” também passa pelo país, citando a ligação de Miles Davis com músicos como Hermeto Pascoal. Para permitir ao público ter acesso a um acervo único, a produção contou com empréstimos realizados pela família do artista, representada pela Miles Davis Properties, como também de diversos colecionadores particulares internacionais e institucionais, incluindo o Board Art Foundation, a Cinémathèque Française, o Institute of Jazz Studies, o L.A. Jazz Institute e a biblioteca pública de Nova York.

É importante observar que muitos dos músicos que tocaram uma ou outra vez com Miles Davis, tais como o baixista Marcus Miller, o trompetista Wallace Roney e o baterista Al Foster abriram uma exceção e concordaram em se separar de seus instrumentos para a exposição. Esta exposição tem a realização do SESC São Paulo, idealização do Cité de la musique e conta com a parceria do CCBB, com o apoio cultural da Air France e da Republique Française.

FICHA TECNICA:
Curadoria: Vincent Bessières
Cenografia: Atelier Projectiles
Coordenação: Marlise Jozami
Produção: Forosul Cultura e Comunicação Ltda.
Produção executiva: Márcia Jardim
Equipe de Produção: Laercio Costa Reis, Linn Jardim e Loana Baillot
Engenheiro de som: Philippe Wojtowicz
Projeto de iluminação: Espaço-Luz Iluminação em Artes - Antônio Mendel
Textos: Vincent Bessières
Tradução: Renato Rezende
Revisão de texto: Philippe Baden Powell

SERVIÇO
SESC PINHEIROS – EXPOSIÇÃO “QUEREMOS MILES!”
Temporada: de 19 de outubro de 2011 a 25 de janeiro de 2012
Local: segundo andar da unidade
Classificação etária: Livre para todos os públicos
Ingressos: Grátis
SESC Pinheiros
Endereço: Rua Paes Leme, 195.
Horário de funcionamento da Unidade: Terças a sextas, das 13 às 22h.
Sábados, domingos e feriados, das 10h às 19h horas.
Horário de funcionamento da Bilheteria: Terça a sexta das 10h às 21h30.
Sábados das 10h às 21h30, domingos e feriados das 10h às 18h30.
Tel.: 11 3095.9400
ESTACIONAMENTO COM MANOBRISTA (VAGAS LIMITADAS):
Veículos, motos e bicicletas.
Terça a sexta, das 7h às 22h; Sábado, domingo, feriado, das 10h às 19h
(Horários especiais para a programação do teatro).
Taxas: Matriculados no SESC: R$ 6,00 nas três primeiras horas e
R$ 1,00 a cada hora adicional;
Não matriculados no SESC: R$ 8,00 nas três primeiras horas e
R$ 2,00 a cada hora adicional;
Para atividades no Teatro, preço único: R$ 6,00;
Para informações sobre outras programações www.sescsp.org.br 

Fonte:Sylvio Novelli - Assessoria em Comunicação