Cultura

Home/ Notícias Online/ Cultura/ E o Vento Não Levou

E o Vento Não Levou

Publicada em : 03/10/2011

Numa hilariante corrida contra o tempo, o produtor, o roteirista, o diretor e a secretária vivem uma situação limite: o prazo curtíssimo para escrever o roteiro do clássico filme E o Vento Levou

Versão brasileira da peça americana Moonlight and Magnolias (Luar e Magnólias), escrita por Ron Hutchinson, o espetáculo E o Vento Não Levoué uma comédia baseada em fatos reais e conta a divertida história que ficou famosa nos bastidores de Hollywood, durante as gravações do clássico filme E o Vento Levou. 

No palco, quatro personagens - o lendário produtor David O. Selznick (Isser Korik), o roteirista Ben Hecht (Henrique Stroeter), o diretor Victor Fleming (Fábio Cadôr) e uma secretária (Luzia Meneghini) – numa corrida contra o tempo para escrever um roteiro em 5 dias a partir do famoso best-seller de 1.037 páginas. O cenário é assinado por Gilberto Gawronski, figurinos de Luciano Ferrari, trilha sonora de Fábio Ock e iluminação de Roberto Lage e Paulo Henrique Jordão.

SINOPSE
Em uma manhã de segunda-feira, em fevereiro de 1939, o produtor David O. Selznick (Isser Korik), insatisfeito com o que tinha nas mãos, contrata o roteirista Ben Hecht (Henrique Stroeter) para reescrever todo o roteiro de Sidney Howard para o filme E o Vento Levou, que já estava sendo rodado. Porém, o novo roteirista é um dos únicos em todo o País que nunca leu o romance mais famoso daquele momento.

Se junta a eles o diretor Victor Fleming (Fábio Cadôr), que é tirado das gravações de O Mágico de Oz. Juntos, produtor e diretor, que leram o livro, têm a difícil missão de contar e interpretar as principais cenas do livro, para que Ben Hecht possa assim escrever o novo roteiro do filme que Selznick, pretensiosamente, quer que se torne um marco na história do cinema americano.

Ao conhecer a sinopse do filme, o roteirista fica infeliz, não se impressiona e acha que o romance está fadado ao fracasso. Mas o prazo para finalizar o roteiro é curto. Cinco dias intensos de confinamento regados a água, bananas e amendoins, que o produtor considera ajudar no processo criativo. Ninguém sai do escritório até que o novo roteiro fique pronto.

Ficha técnica:
Texto: Ron Hutchinson. Tradução: Isser Korik. Direção: Roberto Lage. Elenco: Isser Korik, Henrique Stroeter, Fabio Cadôr e Luzia Meneghini. Cenários: Gilberto Gawronski. Figurinos: Luciano Ferrari. Sonoplastia: Fabio Ock. Iluminação: Roberto Lage e Paulo Henrique Jordão. Edição de Filmagem: Gustavo Haddad. Assessoria de Imprensa: Arteplural. Coordenação de Produção: Isabel Gomez. Produção Executiva: Manuela Figueiredo.

Para roteiro:
E o Vento Não Levou – Estreia dia 4 de outubro, às 21 horas no Espaço Parlapatões. Praça Franklin Delano Roosevelt, 158 - São Paulo. Telefone: 11 3258-4449. Temporada: Terças e quartas, às 21 horas. Até 14 de dezembro de 2011. Ingressos: R$ 30. Duração: 90 minutos Censura: livre Capacidade: 98 lugares. 

Fonte:Arteplural