Cultura

Home/ Notícias Online/ Cultura/ Modernismos no Brasil

Modernismos no Brasil

Publicada em : 03/10/2011

Evento discute a existência de apenas um modernismo brasileiro, apresentando as várias vertentes da arte produzida no período


 

O livro de Paulo Mendes de Almeida, De Anita ao Museu (Perspectiva, 1976) acabou por consolidar o que se convencionou chamar de “Modernismo Brasileiro”: um fenômeno estético e artístico aflorado em São Paulo pela necessidade, em primeiro lugar, de situar a produção de início de carreira de Anita Malfatti, se desenvolvendo até se tornar uma vontade coletiva que culminou na criação do antigo Museu de Arte Moderna de São Paulo (de onde surgiria, depois, o MAC USP). Um período entre os anos de 1917 e 1948. A exposição Modernismos no Brasil, com 150 obras do acervo do MAC USP, apresenta uma visão mais adequada aos estudos recentes que buscam desconstruir ou pelo menos atenuar a visão, ainda hegemônica, presente no trabalho de Paulo Mendes de Almeida.

Apresentando obras que compõem a coleção de arte brasileira do MAC, a exposição pretende mostrar que durante aquele período não houve apenas um modernismo no Brasil - e nem mesmo em São Paulo, e sim várias vertentes com demandas artísticas e estéticas tão diversificadas que, muitas vezes, se confundiam ou mesmo combatiam entre si, comprometendo uma visão unitária da arte naquelas décadas. Como apoio para o debate que a exposição pretende suscitar, as obras brasileiras são apresentadas ao lado de algumas peças internacionais, também do acervo do MAC USP. O diálogo com a produção internacional dá a dimensão da complexidade do que foi o fenômeno da arte produzida no país durante as primeiras décadas do século passado.

Nos cinco blocos da exposição (A arte como subjetivação do real; A arte como suspensão do real aparente; A arte como fuga do real aparente; A arte como representação do real aparente/apresentação de seus limites; e A arte como apresentação de si/rompimento dos limites impostos pela tradição) estão obras de Anita Malfatti, Tarsila do Amaral, Flávio de Carvalho, Di Cavalcanti, Paul Klee, Pablo Picasso, Giorgio De Chirico, Maria Martins, Giorgio Morandi, Iberê Camargo, Tomie Ohtake, Wassily Kandinsky, Fernand Léger, Victor Brecheret, Antônio Gomide, Henri Matisse, Alfredo Volpi, Alexander Calder, Max Bill, Lygia Clark, Marc Chagall, Ismael Nery, Lasar Segall e muitos outros.

Serviço
Exposição MODERNISMOS NO BRASIL
Curadoria Tadeu Chiarelli
Assistente Mariano Klautau Filho
Abertura 6 de outubro, às 19 horas
Encerramento 29 de janeiro / 2012
Funcionamento terça a domingo das 10 às 18 horas
Local MAC USP Ibirapuera - Pavilhão Ciccillo Matarazzo, 3º piso - Prédio da Bienal – entrada pela rampa lateral
Estacionamento no Parque Ibirapuera com Zona Azul
Telefone 11 5573.9932
Educativo 11 5573.5255
Entrada franca
www.mac.usp.br

Fonte:Sérgio Miranda