Cultura

Home/ Notícias Online/ Cultura/ Mary Anning

Mary Anning

Publicada em : 08/11/2018

Peça infantil inspirada na vida da paleontóloga faz temporada no Sesc Belenzinho

O Sesc Belenzinho apresenta, em novembro, o novo espetáculo da Companhia Delas de Teatro, Mary e os Monstros Marinhos. A peça faz temporada até o dia 25, aos sábados e domingos, além de apresentações extras nos dias 15, 16 e 20, quinta, sexta e terça, sempre às 12 horas, no Teatro da unidade.

Dirigido por Rhena de Faria, a montagem conta a história de Mary Anning, famosa paleontóloga inglesa, que viveu no início do século XIX, abordando o fantástico universo da ciência e da pré-história. De família pobre, Mary começou a trabalhar com apenas 12 anos. As atrizes Cecília Magalhães, Julia Ianina e Thaís Medeiros se revezam no papel da protagonista, representando-a como criança, jovem e adulta, além de interpretarem os demais personagens que aparecem na história.

Mary sobreviveu a tempestades e enfrentou perigosos deslizamentos de terra para fazer grandes descobertas. Estudou anatomia, dissecando répteis em sua cozinha, e assim foi capaz de remontar o primeiro esqueleto de um ictiossauro (um gigante monstro marinho da época dos dinossauros). Sua vida reúne peripécias digna de um conto de fadas. Mas nessa fábula, a princesa é uma cientista que enfrenta os obstáculos com inteligência, coragem e determinação.

A construção do texto se deu de forma colaborativa entre atrizes e diretora. A presença de ‘monstros marinhos’ no título aponta para a relação da protagonista com os fósseis, elementos de uma história verídica, misturando-se com sua a relação imaginária com os animas pré-históricos. Em uma atmosfera onírica, a peça mostra a imaginação de Mary frente ao seu objeto de desejo e a subsistência, intercalando com duras passagens de sua vida.

Os desafios apresentados em Mary e os Monstros Marinhos se dão em três planos: No primeiro momento, seus adversários são a pobreza, a fome e a perda de boa parte de seus irmãos, vítimas das doenças que assolavam a Inglaterra no século XVIII. Mary negocia com a morte, que poupa apenas Joseph, seu companheiro na busca pelos fósseis. Na segunda parte, ela enfrenta os fenômenos da natureza como vento, chuva, raios, desabamentos de terra, mares revoltos e todas as intempéries a que está sujeita em sua jornada à procura de fósseis. No último momento, os desafios de Mary são sociais. Seu principal adversário é uma sociedade machista e conservadora na qual as mulheres não têm direito a voto, não podem ocupar cargos públicos nem frequentar a universidade.

A peça dá à protagonista o inevitável êxito que lhe foi conferido pós-morte, mostrando a importância de seu legado para as gerações posteriores e o reconhecimento nos meios acadêmicos: suas descobertas constituem alguns dos achados geológicos essenciais para o conhecimento da história da Terra.

Ficha técnica: Direção: Rhena de Faria. Dramaturgia: Cecília Magalhães, Julia Ianina, Thaís Medeiros e Rhena de Faria. Elenco: Cecília Magalhães, Julia Ianina e Thaís Medeiros.  Direção de arte: Mira Haar. Adereços: Carlos Rebecca. Trilha sonora: Arthur Decloedt.
Iluminação: Wagner Freire. Máscaras: Helder da Rocha. Bonecos: PalhAssada Ateliê. Consultor de paleontologia: Luiz Eduardo Anelli.  Produçãol: Companhia Delas de Teatro

Serviço

Espetáculo/crianças: Mary e os Monstros Marinhos
Temporada: Até 25 de novembro. Sábados e domingos, às 12h
Sessões adicionais: 15, 16 e 20 de novembro. Quinta, sexta e terça, às 12h
Local: Teatro (392 lugares)
Ingressos: R$ 20,00 (inteira); 10,00 (aposentado, pessoa com mais de 60 anos, pessoa com deficiência, estudante e servidor da escola pública com comprovante) e R$ 6,00 (credencial plena do Sesc - trabalhador do comércio de bens, serviços e turismo credenciado no Sesc e dependentes). Vendas pelo portal e unidades do Sesc.
Grátis para menores de 12 anos. Livre (indicação: 4 anos). Duração: 1h.

Sesc Belenzinho
Endereço: Rua Padre Adelino, 1000
Belenzinho – São Paulo (SP). Telefone: (11) 2076-9700
www.sescsp.org.br/belenzinho

Fonte:VERBENA Comunicação