Cultura

Home/ Notícias Online/ Cultura/ A Bruxinha que era boa

A Bruxinha que era boa

Publicada em : 11/09/2018

Espetáculo infantil da Ferbeck Produções volta aos sábados e domingos

Divulgação
As bruxinhas da grande autora brasileira, Maria Clara Machado, voltam ao palco no dia 15 de setembro (sábado), dessa vez na Zona Leste de São Paulo, mais precisamente no Teatro Arthur Azevedo, localizado na Mooca. Em abril desse ano, “A Bruxinha que era boa” teve estreia de sucesso, ficando três meses consecutivos em cartaz, sempre com plateia lotada e público fiel apaixonado pela estrutura da Ferbeck Produções, desde a montagem de “Pluft, o fantasminha” (em cartaz por 8 meses sem pausa).

A produtora tem como objetivos, além de divertir o espectador, conduzi-lo a uma reflexão leve e agradável sobre certas dificuldades psicológicas relativas a medos, conflitos e exclusão através da força poética da autora; levar o público infanto-juvenil a experimentar, alguns pela primeira vez, a magia do teatro, conhecendo o espaço, tendo contato com os personagens, e vivenciando esta rica experiência cultural; formar novas plateias e ampliar o leque de ofertas culturais de qualidade para esse público.

Os espetáculos da Ferbeck estão ficando cada vez mais reconhecidos pelos encantos dos cenários e figurinos que deixam não só as crianças, mas os adultos também, com os olhos brilhando. A responsável é Angela Schoendorfer, uma profissional que trabalha com materiais reciclados e faz milagres com tudo que toca. A direção leva o nome do ator e diretor Theo Hoffmann, que guia tudo com fidelidade ao texto, e junto aos atores e equipe qualificados, dão vida e magia no palco.

Em A Bruxinha que era boa, Ângela é uma bruxinha que sempre se atrapalha ao tentar fazer maldades, ao contrário de suas colegas da Escola de Bruxas. A bruxinha boa vive sendo alvo de piadas e sendo excluída. Após tempos de estudos chega o momento do grande teste das bruxas, a vencedora vai ganhar uma vassoura a jato e quem não passar, vai viver o resto da vida presa na Torre de Piche. Ângela não consegue disfarçar sua bondade, mas vai contar com a ajuda do novo amigo Pedrinho, um jovem lenhador com gostos bem parecidos com os dela, para tentar acabar com toda a maldade das demais. Todas querem ganhar a fabulosa vassourinha a jato. Sua nova amizade e seu jeito bonzinho não agradam o grande Bruxo Belzebu III, que promete prendê-la na Torre de Piche.

Serviço:
A Bruxinha que era boa

Ferbeck Produções
Data: Sábados e Domingos de 15/09 a 21/10
Horário: 16h
Local: Teatro Arthur Azevedo - Av. Paes de Barros, 955 - Mooca, São Paulo
Estacionamento gratuito no local; Climatização e acesso para cadeirantes.
Preços:  R$ 16 inteira, R$ 8 meia

Fonte:aí Comunic – Assessoria de Imprensa