Cultura

Home/ Notícias Online/ Cultura/ Cabeças Trocadas

Cabeças Trocadas

Publicada em : 15/06/2018

Caixa de Fuxico estreia obra de Thomas Mann, na SP Escola de Teatro

Andrea Cavinato
Primeira montagem adulta do grupo tem Andrea Cavinato como protagonista de uma história que usa a metáfora para refletir sobre o feminino, do patriarcado aos dias atuais.

O espetáculo Cabeças Trocadas - do grupo Caixa de Fuxico da Cooperativa Paulista de Teatro - estreia no dia 6 de julho (sexta, às 21h) na SP Escola de Teatro, onde cumpre temporada até o dia 6 de agosto.

Adaptada do romance do alemão Thomas Mann pela atriz Andrea Cavinato, a história aborda sentimentos humanos intensos e a forma como as atitudes podem expressar nossos desejos mais secretos. A direção é assinada por Rosana Pimenta.

Esta é a primeira montagem do Caixa de Fuxico, atuante desde 1999, que é destinada ao público adulto. Fruto de um longo processo de experimentação, a partir da densa e complexa narrativa de Mann, a peça expõe questões ligadas ao patriarcado e ao feminino em uma trama carregada de metáforas e ironia.

O enredo se passa em uma aldeia na Índia. Dois amigos - bem diferentes tanto fisicamente como na condição social e na forma de pensar a vida - vivem uma estranha aventura com uma mulher, a bela Sita. Em um momento de desespero, Sita toma a decisão impensada, ajudada pela deusa Kali, de trocar a cabeça do marido com a do amigo. As consequências de suas escolhas são surpreendentes e acabam por custar a vida desse trio amoroso.

Andrea conta que leu o romance, 18 anos atrás, e sempre carregou consigo o desejo de encená-lo. “As Cabeças Trocadas me impressionou pela complexidade como Mann aborda a representação do feminino, a espiritualidade e o poder do inconsciente usando a metáfora; ele é extremamente irônico e mordaz, mas o faz de maneira ambígua”. Ela ainda afirma que, embora adaptado para a sala de teatro, seu texto mantém as características da história original.

Rosana Pimenta, que tem reconhecido trabalho de pesquisa sobre danças indianas, foi convidada, em um primeiro momento, para fazer a preparação corporal de Andrea, mas acabou assumindo a direção da atriz. Segundo ela, “a peça não aprofunda no conhecimento da cultura oriental, mas propõe questionar e refletir sobre a nossa própria cultura, flertando com os códigos do oriente, a partir da nossa perspectiva ocidental com suas amplitudes e amarras”. E Andrea Cavinato destaca como importante aspecto reflexivo da obra o fato da deusa Kali conduzir a realização dos desejos de Sita, subvertendo as regras patriarcais, onde a mulher é propriedade do pai ou do marido não tendo direito a escolhas ou desejos.

O espetáculo Cabeças Trocadas tem sua estética no teatro épico. A encenação usa o recurso do ritual narrativa - somado ao teatro de sombras e à música ao vivo - para compor esse enredo filosófico e discutir as relações entre físico e espiritual, desejo e tabu, sagrado e profano. Andrea Cavinato, que está em cena junto com a musicista Estela Carvalho, conduz a história e interpreta todos os personagens.

A música executada ao vivo é propícia aos climas da narrativa, tanto no âmbito mítico dos mantras como no universo pop que já se instala Índia. Estela toca violão, flauta, escaleta, acordeon e percussão, criando uma paisagem sonora paralela, mas que também compõe a cena junto com gestos, imagens e palavras. E o teatro de sombras propõe um jogo metafórico sobre a vida, fazendo a ponte com o universo dos sonhos e da imaginação.

A atriz explica que o processo foi desenvolvido na sala de ensaio, da adaptação à encenação. “Cabeças Trocadas é um teatro de pesquisa do gesto e do movimento corporal para comunicar imagens por meio do experimento nomeado ‘a carne aberta’, no qual o ator cria um corpo que ‘vibra’ para alcançar a integração com o espírito e dar intenção às palavras”. A dança indiana Barathanatyan foi objeto de treinamentos da diretora com a atriz, explorando o viés narrativo desse estilo, caracterizado pela codificação de gestos. Inserido no jogo da encenação, o expectador se posiciona em círculo e desfruta metaforicamente do “sorteio” dos lances da vida. Como um ritual, a encenação leva o público a conhecer segredos sobre a existência humana.

Numa aldeia na Índia, dois amigos fisicamente diferentes com formas diversas de pensar a vida, vivem uma estranha aventura com a bela Sita que, num momento de desespero e com a ajuda da deusa Kali, toma a decisão de trocar a cabeça do marido com a do amigo. O espetáculo utiliza dos recursos da narrativa, do ritual, do teatro de sombras e da música ao vivo.

SERVIÇO:
Espetáculo: Cabeças Trocadas

Estreia: 6 de julho. Sexta, às 21h
Temporada: 6 de julho a 6 de agosto
Dias e horários: sexta, sábado e segunda (às 21h) e domingo (às 19h)
Ingressos: R$ 30,00 (meia entrada: R$ 15,00)
Bilheteria: 1h antes das sessões. Aceita cartão de débito e dinheiro.
Duração: 75 min. Classificação: 16 anos. Gênero: Drama.

Local: SP Escola de Teatro (Sala R1)
Praça Franklin Roosevelt, 210 - Consolação. São Paulo/SP
Tel: (11) 3775-8600 - http://www.spescoladeteatro.org.br/
Acesso universal. Ar condicionado. Capacidade: 60 lugares.

Fonte:VERBENA Comunicação