Culinária

Home/ Notícias Online/ Culinária/ Churrasco brasileiro x Churra...

Churrasco brasileiro x Churrasco argentino

Publicada em : 26/04/2013

Maitre e Chef consultor do Aguativa Golf Resort ensinam as diferenças e semelhanças entre os assados e o que cada forma de preparo tem de melhor


No ano em que a Copa das Confederações será realizada no Brasil e o Aguativa Golf Resort-PR  oferece pacotes específicos para o evento, o embate do Brasil e Argentina não poderia ficar de fora. O churrasco é tradição nos dois países, mas se apresenta de forma diferenciada em cada um deles, porém ambas são saborosas. O chef Taico, consultor do empreendimento, explica as particularidades de cada preparo.

As diferenças começam na maneira de assar. Enquanto os brasileiros usam a churrasqueira, os argentinos fazem o assado na parrilha, a famosa parrilhada. Lá, a carne é preparada em grelhas com mais ou menos 45 graus de inclinação, em fogo de lenha muito poderoso e próximo das carnes. “No local, os cortes são jogados com um desdém apaixonante”, revela o chef.

Na churrasqueira, a brasa é feita diretamente abaixo da grelha, enquanto no parrilhero ela fica na lateral e vai sendo puxada para baixo da grelha aos poucos e não há uma parede frontal para isolar o braseiro.

Outra alteração fundamental está no ato de salgar os produtos. Enquanto no Brasil as carnes são lambuzadas de sal grosso antes do cozimento, na Argentina o tempero é feito com sal marinho e somente na da metade do processo. O resultado é sentido no prato. “O sal grosso, diferente do refinado, deixa a carne mais pesada e é responsável por aquela sensação de estômago distendido”, conta Taico.

Outra diferença está no tipo de carne e da espécie do animal que provém. Os brasileiros fazem seus churrascos com carnes zebuínas, ou seja, nelores, bem como os cruzamentos dessa raça. Já na terra dos “hermanos”, o gado de corte é de origem britânica – os herefords e angus.

O que cada churrasco tem de melhor? Segundo o maitre do Aguativa, Sebastião Becker, o argentino tem a linha de lombo marmorizada (bife ancho e chorizo) e o brasileiro faz uso da garupa mais farta e arredondada (picanha e o cupim no alto do lombo).  “Lá, o mais comum é o bife ancho ou chorizo e, no Brasil, a picanha fatiada.”

Quando questionado sobre qual ocasião é mais apropriada para o preparo de um tipo ou outro de churrasco, ele responde com naturalidade: “Não há indicação específica; o assado pode ser preparado e saboreado com características de ambas.”

Por fim, seja qual for o tipo de “churrasco” escolhido, cada um tem o seu acompanhamento. Os brasileiros costumam preparar vinagrete com tomates, cebolas e salsinha temperados com vinagre, azeite e sal. Já os argentinos usam o molho chimichurri, que é feito à base de salsinha, alho, cebola, tomilho, orégano, pimenta vermelha moída, pimentão, louro, pimenta do reino negra, mostarda em pó, salsão, vinagre e azeite.

Dicas simples para cada tipo de chusrrasco:

Brasileiro


1- Encontrar os cortes de boa qualidade.
2 - Fazer um braseiro intenso a 40 cm da grelha.
3 - Respeitar o tempo de cocção ideal do corte.
*Em um churrasco brasileiro, não pode faltar linguicinha, pão e farofa.

Argentino
1- Encontrar os cortes de boa qualidade.
2- Fazer um braseiro intenso a 40 cm da grelha.
3 - Respeitar o tempo de cocção ideal do corte.
4 - Se possível, assar em um parrilero.
*Os argentinos gostam de acompanhar as carnes com pimentões assados e batatas fritas.

Fonte:accesso